O Sporting despede-se da pré-época com uma vitória gorda e cem por cento de triunfos em casa: Fiorentina e Real Sociedad foram dois adversários exigentes e que dão ânimo a Alvalade.

Por aqui está tudo bem, claro. A formação leonina está preparada para receber o Arouca.

O resto apresentou novamente uma equipa à imagem de Leonardo Jardim: rigorosa, trabalhadora e solidária. O Sporting entrou aliás muito bem no jogo, marcou cedo, mas foi um fulgor que durou apenas vinte minutos. A partir daí impôs-se a capacidade leonina de saber sofrer.

O resultado, já se percebe pelo parágrafo anterior, é exagerado: durante muito tempo imaginava-se o empate mais próximo do que esta vitória robusta.

No entanto defender também é uma arte e este Sporting defendeu muito bem. A Fiorentina teve mais bola, mas nunca conseguiu cavalgar para cima da baliza de Patrício como uma máquina trituradora: pelo contrário, teve muito bola inofensiva.

Recorde como vivemos o jogo ao minuto no estádio

Leonardo Jardim apostou numa disposição diferente em campo, com quatro médios quase em linha e um homem no apoio ao ponta de lança: parece uma estratégia a querer conciliar Montero e Slimani em campo, mas só o futuro o poderá provar.

Para já, e seguro, seguro, é que o Sporting respondeu bem neste novo esquema tático: foi uma equipa que ocupou devidamente os espaços, que se manteve sempre compacta e que por isso levou a Fiorentina aos nervos.

No fundo as maiores dúvidas prendem-se sobretudo com a capacidade de Gerson Magrão e André Martins serem alas. Ambos gostam de procurar espaços interiores e travam o jogo junto às linhas.

Montero fez golaço e Ruben Semedo deixou promessas

O resto foi positivo, até por exemplo a liberdade ofensiva que Jefferson teve e que o levou duas vezes pelo corredor esquerdo fora até dois cruzamentos muito perigosos.

No fim, portanto, é certo que o resultado é exagerado, a Fiorentina ainda acertou duas vezes nos ferros de resto, mas é certo também que o Sporting mostrou maturidade e segurança frente a um adversário recheado de grandes jogadores.

O Troféu Cinco Violinos cai-lhe bem, no fundo.

A notícia negativa da noite teve a ver com Rui Patrício: foi expulso e vai falhar a primeira jornada. Uma asneira daquele que estava a ser dos melhores em campo.

Agora que venha a Liga.

Ficha de jogo:

Estádio Alvalade XXI, em Lisboa

Assistência: 19 385 espectadores

Árbitro: Pedro Proença (Lisboa)

SPORTING: Rui Patrício; Cedric (Welder, 46m), Ruben Semedo, Maurício e Jefferson; André Martins (Marcelo Boeck, 81m), Rinaudo (André Santos, 65m), William Carvalho e Gerson Magrão (Slimani, 81m); Wilson Eduardon (Carrillo, 46m); Montero (Capelm, 65m).

Suplentes: Marcelo Boeck, Chaby e Cissé.

FIORENTINA: Múnua; Tomovic (Savic, 46m), Hegazy (Compper, 46m), Gonzalo Rodríguez (Iakovenko, 46m) e Pasqual (Vargas, 74m); Pizarro e Ambrosini (Ljaljic, 74m); Joaquín (Vecino, 74m), Aquilani (Borja Valero, 46m) e Cuadrado; Giuseppe Rossi (Mario Gomez, 46m).

Suplentes não utilizados: Neto, Lupatelli, Marcos Alonso, Roncaglia, Bakic e Matos.

Disciplina: Cartão amarelo para Rinaudo (43m).

GOLOS: Montero (5m), Carrillo /72m) e Ruben Semedo (77m).