O álbum «Dois Selos e Um Carimbo», dos Deolinda, editado em 2010, venceu o Prémio José Afonso 2011, escreve a agência Lusa. O anúncio foi feito esta terça-feira pela Câmara Municipal da Amadora, que o instituiu o prémio desde 1988.

Para o júri, o álbum «vem confirmar e expandir, após o merecido sucesso do primeiro CD, em 2008, as já evidentes qualidades deste grupo em plena ascensão».

O «requinte das melodias e dos arranjos, que fundem habilmente várias influências num todo original, mas genuinamente português, ótima interpretação instrumental e vocal e pertinência e atualidade das letras, que se traduzem numa poesia crítica inteligente e plena de humor» foram as qualidades destacadas pelos jurados.

Segundo a nota da autarquia, o júri realçou ainda «a inovação e individualidade musical e a cuidada produção sonora e gráfica do álbum».

Do álbum, editado pela EMI Music, constam 14 temas, entre eles, «Quando Janto em Restaurantes», «Entre Alvalade e as Portas de Benfica», «Um Contra o Outro» e «Fado Notário».

Foram também finalsitas do prémio José Afonso 2011 os álbuns, «As Vidas dos Outros», dos Anaquim, «Guia», de António Zambujo, «Veículo Climatizado», dos Arrefole, «Do Amor e dos Dias», de Camané, «Signo Solar», dos Flor-de-Lis, «Sétimo Fado», de Joana Amendoeira, «Graffiti», de Júlio Pereira, «Troubadour», de Lula Pena, e «Fado Tradicional», de Mariza.

Constituíram o júri o vereador da cultura da Amadora, António Moreira, a pianista Olga Prats, o compositor Sérgio Azevedo e a chefe da divisão de Intervenção Cultural da edilidade, Vanda Santos.

Os Deolinda têm novo álbum de originais, «Mundo Pequenino», editado pela Universal Music na segunda-feira e que já é disco de Ouro, pelo número de exemplares vendidos.

A banda apresenta o novo álbum no próximo sábado em Lisboa, às 18h30, na FNAC do Colombo, e às 21h30, na do Chiado. A banda tem já agendadas atuações nos Coliseus de Lisboa e Porto, respetivamente, nos dias 3 e 4 de maio.