A história de Asia Bibi é incrível e dramática. É uma paquistanesa que trabalha no campo com mulheres muçulmanas. Um dia bebeu um copo de água de um poço e ao fazê-lo cometeu um crime capital. As outras mulheres dizem que a água ficou impura porque Asia é cristã. Está condenada por blasfémia e espera o dia do enforcamento.

A história foi descoberta há dois anos e Asia aguarda o dia em que vai ser enforcada. O seu caso surge agora no livro «É meu dever», ditado a partir da prisão, escrito do lado de fora por uma jornalista francesa. Anne-Isabel Tollet acredita, como acredita toda a família de asia, que o livro é uma forma de pressionar o mundo a impedir esta execução.

As mulheres não mostram arrependimento por a terem acusado, mas o povo paquistanês está dividido. O ministro das minorias e o governador da província tentaram defender Asia, mas foram ambos assassinados.

A própria jornalista foi ameaçada e teve de voltar a França. É aí que aguarda Asia Bibi, quando ela for libertada. As receitas do livro revertem a favor dessa causa.