Lopburi é uma cidade turística da Tailândia e, entre a população e os visitantes, existem sempre uns quantos intrusos que decidem aparecer. Ali, os macacos já fazem parte da paisagem urbana, mas a situação parece estar a ganhar contornos mais graves e há quem fale mesmo numa cidade tomada pelos animais.

Não é só a economia local que depende do turismo. Também os macacos parecem estar a sofrer com as restrições impostas para conter a pandemia de Covid-19 no país. Sem visitantes para os alimentar, os símios estão a ficar com fome e a tornar-se agressivos.

Segundo o The Guardian, a população local tentou dar refeições rápidas para acalmar os animais. Mas o efeito parece ter tido um resultado diferente do desejado. O açúcar deste tipo de alimentos excitou ainda mais os animais, levando-os a comportamentos mais agressivos.

Outro dos problemas está relacionado com a incapacidade de controlar a reprodução dos macacos. Com muitos dos serviços paralisados, as autoridades ficaram várias semanas sem esterilizarem alguns dos animais e isso resultou num grande aumento da população, sendo que o facto de não serem castrados também promove mais comportamentos agressivos.

A situação levou a um segundo confinamento e a população da cidade de Lopburi diz-se presa em casa. Nas redes sociais multiplicam-se os vídeos de macacos a lutarem pela comida e em comportamentos agressivos.

Em entrevista ao The Guardian, uma moradora diz que vive "numa gaiola", sendo que muitos dos locais construíram mesmo barreiras físicas para evitar que os macacos entrassem nas suas casas.

As autoridades começam, a pouco e pouco, a tentar controlar a situação. O primeiro passo é esterilizar o máximo de macacos possível, impedindo que se reproduzam e que tenham comportamentos mais agressivos.

Lopburi é uma cidade que fica a cerca de 150 quilómetros da capital tailandesa, Banguecoque, e os primeiros vestígios de civilização no local remontam há mais de mil anos.

António Guimarães