Parece mentira, mas não é. O hotel Asahi Ryokan, localizado na cidade de Fukuoka, no Japão, permite aos seus hóspedes pagar apenas 100 ienes, ou seja, cerca de 0,90 cêntimos por noite. 

Porém, para além do custo simbólico, o hóspede tem de aceitar ser gravado vinte e quatro horas por dia para o canal de YouTube do hotel. 

Tetsuya Inoue teve a ideia quando um YouTuber britânico ficou hospedado no hotel. Durante quase todo o tempo em que lá esteve, o gerente de 27 anos viu o britânico com a câmara do telemóvel ligada a captar em tempo real os melhores momentos que passou no hotel.

A partir desse momento, o gerente, que herdou o hotel da sua avó em 2018, começou a perceber que podia tornar rentável o quarto número oito do hotel apenas com o dinheiro obtido através do canal de Youtube, que, até ao momento, tem cerca de 2, 920 inscritos.

 

Este é um ryokan [um hotel típico japonês] muito velho e eu quis trazer um novo modelo de negócio”, diz Inoue à CNN, acrescentando que o hotel “não é dos mais caros, por isso foi necessário criar valor acrescentado, algo especial que pudesse ser falado por todas as pessoas”.

Antes da ideia inovadora, o quarto número oito era um dos menos populares. Agora, tem atraído muitos jovens que querem poupar dinheiro enquanto estão a viajar pelo Japão.

 

 

Os mais jovens não querem saber muito da privacidade. Alguns dizem que não há problema em serem observados durante um dia”, diz Tetsuya Inoue.

No entanto, existem algumas restrições. O vídeo transmitido em tempo real no YouTube não tem som, permitindo aos hóspedes terem conversas privadas, e as câmaras não apanham a casa de banho. Os hóspedes são ainda autorizados a desligar as luzes sempre que quiserem.