«Foi um choque. Falei com o meu ginecologista. Refleti e tomei a decisão que, no fundo, eu já sabia. Não tenho medo, visto que a minha saúde está boa e estou em forma», contou Raunigk ao jornal alemão «Bild».

Redação / CGF