Uma mulher residente m Nova Iorque está a braços com um esquema de fraude de identidade que está a trocar-lhe as voltas e não a deixa fazer aquilo que ela quer fazer pela primeira vez precisamente por que já o fez outras vezes. Ou não fez? Essa é a questão que ela está a tentar resolver.

Ora aqui se conta o que se passa para que o leitor não fique também preso no meio desta confusão: o que se passa com Anna Vargas é que ela quer casar, pela primeira vez, mas não pode, porque já é casada três vezes. E aqui está o caso de fraude de identidade: porque Vargas nunca casou, mas o seu nome já apareceu três vezes em outros tantos casamentos.

A história relatada pela «Associated Press» conta que Vargas já conseguiu que um tribunal anulasse dois dos três casamentos, mas ainda está à espera que seja apagado do seu registo o terceiro casamento, por sinal, inscrito no estado onde ela reside; e para que, assim feito, possa finalmente ser ela a casar de facto.
Redação / PC