Uma unidade de produção de vinho com 6.100 anos, a mais antiga de que há memória, foi descoberta numa gruta na Arménia, anunciou esta terça-feira uma equipa internacional de arqueólogos, citada pela AFP, escreve a Lusa.

Antes desta descoberta, os vestígios de equipamento de produção vinicula datavam de há 5.000 anos.

«Pela primeira vez, temos uma imagem arqueológica completa de uma produção de vinho com 6.100 anos de idade», congratulou-se Gregory Areshian, responsável pelas escavações e director adjunto do Instituto de Arqueologia Cotsen na Universidade da Califórnia, em Los Angeles.
Redação / PP