Um artista dinamarquês recebeu um empréstimo de 72 mil euros de um museu para publicar recreações de dois dos seus trabalhos, mas o artista surpreendeu toda a gente ao entregar duas telas em branco, batizando a obra de “Pega no Dinheiro e Foge”. 

Jens Haaning, autor da obra, afirma que as duas peças são um protesto contra as “condições de trabalho miseráveis" e os baixos salários, uma vez que o acordo inicial faria com que o artista tivesse de pagar 3.300 euros do seu próprio bolso para poder recriar as obras, sendo que o restante montante deveria ser entregue ao museu no dia da estreia da exposição 

A obra de arte é eu ter-lhes tirado o dinheiro”, afirmou.

Apesar do choque inicial, o museu Kunsten de Arte Moderna considera que as obras de arte representam um trabalho conceptual interessante. Ainda assim, acreditam que o artista lhes deve o dinheiro, uma vez que o acordo inicial determinava que o montante teria de ser devolvido em 16 de janeiro de 2022.

O curador recebeu um e-mail no qual Jens Haaning escreveu que transformou a obra e lhe deu o título de ‘Pega o dinheiro e Foge’. Posteriormente, pudemos verificar que o dinheiro não foi investido na obra", disse um porta-voz do museu.

Ainda assim, Haaning defende-se ao dizer que o que está em causa “não é roubo”, mas sim “uma quebra de contrato”.

Encorajo outras pessoas que tenham condições de trabalho tão miseráveis como as minhas a fazer o mesmo. Se tiverem um trabalho de m**** como meu e não vos pagarem, e na verdade estiverem a pedir-vos para pagar para trabalhar, então agarrem no que puderem e saltem fora”, frisou o artista.