Um milionário tailandês decidiu oferecer uma grande quantia de dinheiro e ainda toda a sua propriedade ao homem que casar com a filha. O único requisito que o futuro genro tem de cumprir é “trabalhar duro e fazê-la (a filha) feliz”.

À primeira vista, não parece ser uma tarefa muito difícil, o que levou a muitos homens ponderarem sobre a oferta.  

Arnon Rodthong, de 58 anos, é dono de uma grande quinta de frutas na província de Chumphon, no sul da Tailândia.

Karnsita Rodthong, a filha de 26 anos, ajuda-o a tomar conta dos negócios da família, mas agora o pai decidiu "assegurar-lhe" o futuro oferecendo £240.000 – aproximadamente, 264 mil euros – ao homem que casar com ela.

Além desta enorme quantia de dinheiro, o futuro genro iria ainda herdar a grande propriedade de Chumphon. Que é considerada a maior da região e está avaliada em milhões de libras.

Normalmente, em algumas zonas da Tailândia, a tradição passa pelos homens irem ter com os pais das raparigas e pagarem para poderem casar com elas. Rodthong fez a jogada ao contrário, mas admitiu estar disposto a abrir mão do negócio em prol de outro.

Eu quero alguém que tome conta do meu negócio e que o faça perdurar. Não quero um homem com um diploma universitário, ou um mestrado ou um filósofo (…) Quero um homem dedicado. Quero um homem trabalhador. Só isso”.

Apesar de Rodthong ter outros filhos, a quem poderia deixar toda a sua herança, entendeu que queria dar tudo ao futuro genro.

Assim que eu tiver um cunhado, vou dar-lhe todos os meus bens”.

Karnsita fala inglês e chinês fluentemente, é virgem - nunca teve um namorado – e tem suscitado muito interesse depois da oferta do pai.

Na mesma linha de pensamento do pai, ou quase, Karnsita também entende que o futuro marido tem obrigatoriamente de ser um homem trabalhador para conseguir a fortuna do pai. No entanto, os objetivos são um pouco diferentes. Se o pai quer um homem lutador e esforçado para gerir os negócios da família, Karnsita quer manter essa fortuna para poder realizar operações plásticas na Coreia.

A jovem diz que não está chateada com o pai pelo suposto "ato de coragem", mas ficou um pouco “surpresa” por ter sabido da “oferta” através de amigos e não diretamente da boca do pai.

Inicialmente, eu descobri a oferta do meu pai quando os meus amigos me mostraram. Fiquei surpreendida, mas também consegui ver o lado divertido (…) é verdade que eu ainda estou solteira. Se eu tenho que casar com alguém, eu só quero que ele seja dedicado, boa pessoa e que ame a sua família”.