A Netflix avançou que irá editar algumas cenas da série “Squid Game” após uma mulher ter sido bombardeada com milhares de chamadas e mensagens de texto, na Coreia do Sul, depois do seu número ter sido exposto no decorrer da série.

Kim Gil-young explicou à CNN que tem o mesmo número há 16 anos e que, para além de o usar como número pessoal, usa também para receber encomendas uma vez que dirige um negócio de confeção de sobremesas.

“Já tive clientes a reclamar por não conseguirem falar comigo, outros que fazem uma encomenda e depois dizem que não passava de uma brincadeira”, explicou.

Quando a série foi lançada naquela plataforma de streaming, Kim recebeu pela primeira vez milhares de chamadas que se perpetuaram por vários dias, levando-a mesmo a recorrer a um médico e a tomar medicação para a ansiedade.

“Não me consigo concentrar, estão constantemente a ligar-me números desconhecidos”, explicou à CNN, que confirmou junto da Netflix que as cenas onde é revelado o número de telefone, vão ser editadas.

 

“Juntamente com a produtora, estamos a trabalhar para resolver o problema, incluindo as cenas onde apareçam números de telemóvel”, revela a CNN.

Recorde-se que este insólito incidente levou a que um político sul-coreano tenha tentado tirar proveito do mediatismo do caso, oferecendo-se para comprar o cartão do telemóvel da lesada.

“Ouvi dizer que o dono do número de telemóvel mostrado num cartão na série ‘Squid Game’ está a sofrer sérios danos fruto do elevado número de chamadas. Eu gostava de comprar o cartão por 100 milhões de won (aproximadamente 72 mil euros)”, disse Huh Kyung-young. 

 

Kim não considerou, no entanto, que a oferta fosse suficiente, uma vez que para além de ser o seu número pessoal, tinha muitos clientes fidelizados através daquele número.

De lembrar que a série conta a história de um grupo de pessoas que são convidadas a participar num misterioso jogo de sobrevivência, onde o prémio é elevado mas a derrota pode-lhes custar a vida.