Um casal australiano apanhou um valente susto ao descobrir uma espécie rara de cobra venosa no saco de alface do supermercado. O réptil, com cerca de 20 centímetros de comprimento, estava a dormir calmamente no meio das folhas de alface, até ao momento em que o casal decidiu preparar o almoçar.

Tudo aconteceu na segunda-feira, quando Alexander White e a sua companheira, Amelie Neate, decidiram ir ao supermercado buscar as compras para a semana. Chegados à zona de produtos refrigerados, pegaram num saco de alface, deram uma volta ao estabelecimento, puseram-no na mochila e voltaram para casa de bicicleta.

Não tínhamos um trolley porque nenhum de nós tinha uma moeda de um dólar, então trazíamos o saco na mão – em retrospetiva, isso assusta-me um bocado”, afirmou Alexander ao jornal britânico The Guardian.

Mas o animal não terá apreciado a viagem e decidiu demonstrar o seu descontentamento quando o casal chegou a casa. Enquanto tiravam as compras da mochila, a cobra da espécie Hoplocephalus bitorquatus, saiu por entre a alface e começou a mexer-se agitadamente e a mostrar a língua.

Ela estava a mexer a sua pequena língua. Na verdade, foi a língua que me fez saber que não se tratava de uma minhoca gigante. Eu teria ficado mais confortável com uma minhoca, para ser sincero”, contou Alexander.

Nesse momento, o casal decidiu contactar imediatamente para uma organização de salvamento de vida selvagem, a Wires, que, após o envio de várias fotografias, concluiu tratar-se de uma espécie de réptil “medicamente significativa”, algo que não foi interpretado da melhor forma por Alexander.

Eu pensei que eles se estivessem a referir às propriedades medicinais. Aparentemente significa que se fores mordido, tens de ir para o hospital muito rapidamente”, revelou, sublinhando ainda que o animal tem uma tendência para morder continuamente quando provocado.

Antes chegada dos peritos da Wires, a cobra foi colocada com segurança dentro de um Tupperware que ficou “ligeiramente aberto” para que não faltasse o ar ao animal. Pouco depois, o especialista chegou e colocou a cobra dentro de um recipiente aquecido, próprio para o transporte destes animais. Agora, com a ajuda da cadeia de supermercados, foi possível descobrir a origem do animal e, em breve, será transportado de volta à sua origem para ser libertada.

Alexander revelou aquilo que aprendeu com o susto e ainda o destino dado à alface.

Eu comi a alface. Eu lavei-a bem. Havia algumas coisas como cocó de cobras, mas eu lavei isso bem e fiz um wrap de salada. As pessoas dizem sempre “lava bem os vegetais” e eu acho que fui culpado no passado por não o ter feito, mas acho que a lição disto é lavar sempre os vegetais”, brincou.