Chamam-se The Dazzle Club e todos os meses saem às ruas de Londres com a cara pintada, como forma de protesto contra as câmaras de videovigilância, que estão equipadas com um sistema de reconhecimento facial.

As câmaras registam os principais traços do teu rosto. Então, a ideia é maquilharmo-nos com desenhos de formas geométricas, de cores diferentes, claras e escuras, para dissimular as principais feições da cara, estamos a evitar algum controlo".

A explicação foi feita numa entrevista à 'BBC', por alguns dos manifestantes que acreditam que, desta forma, conseguem baralhar os dispositivos de vigilância e as próprias autoridades.

Londres é, por esta altura, umas das cidades mais monitorizadas do mundo, o que deixa apreensivo este grupo de pessoas:  "Tens aquele sentimento estranho de que alguém te está a seguir. Sinto-me desconfortável por Londres estar a ficar assim".

Os artistas acreditam que as forças policiais controlam cada vez mais a vida de cada indivíduo sem que este se aperceba, uma vez que o reconhecimento facial é utilizado para praticamente tudo, desde a rua passando pelas redes sociais e pelos telemóveis.

As câmaras com esta nova tecnologia foram instaladas na capital britânica, pela Polícia Metropolitana, no início do ano e têm sido testadas em outros lugares do Reino Unido. Contactada pela televisão pública de Inglaterra, a polícia recusou-se a responder se a técnica de maquilhagem consegue baralhar as câmaras, porém garantiu que o reconhecimento facial tem ajudado os agentes a localizar pessoas suspeitas de terem cometido crimes.

Em março, a caminhada estava marcada para esta quinta-feira, contudo devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, o protesto transformou-se numa transmissão online de leituras, músicas e discussões, que vai para o ar na página do grupo no Instagram.

Emanuel Monteiro