As autoridades britânicas pararam e interrogaram David Baker pela centésima vez nos últimos sete anos. O homem, que é um conhecido cientista britânico, nega qualquer crime e afirma que o problema é o seu nome.

O professor de 57 anos tem o mesmo nome de quatro criminosos, o que faz com que as autoridades o parem sempre que lhe pedem a identificação. Os outros quatro indivíduos estão condenados por crimes violentos e tráfico, segundo o The Guardian.

O professor David Baker é um especialista em neuroimunologia na Universidade de Queen Mary, em Londres, e tem desenvolvido múltiplas investigações sobre doenças como a esclerose múltipla. Como viaja muito em trabalho, muitas das vezes acaba por ser parado pelas autoridades. A questão costuma ficar resolvida assim que apresenta toda a identificação.

O homem conta que já pediu às autoridades fronteiriças que lhe explicassem qual a razão para o pararem tantas vezes, mas não obteve resposta. David Baker acredita que pode existir um problema nas bases de dados dos serviços de imigração, o que o leva a ser confundido com os outros criminosos.

Comecei a fazer perguntas e eles foram evasivos. Em alguns momentos disseram-me que era do meu nome e não de mim", explicou.

O homem está mesmo a ponderar a hipótese de mudar de nome, de forma a fazer com que a situação pare de vez.

Em declarações ao The Guardian, uma fonte dos serviços de imigração explicou que "a prioridade é manter a segurança na fronteira, e é por isso que todos os que chegam ao Reino Unido são examinados com as nossas bases de dados".