Víctor Millan é produtor agrícola e presidente da Junta de Freguesia de Todolella, na província espanhola de Castellón. Duas profissões que à partida não seriam difíceis de conciliar, não fosse a falta de rede na zona.

A verdade é que regularmente, o autarca é obrigado a subir ao telhado de uma das casas da sua quinta para poder trabalhar, pois é o único local onde tem rede para aceder à internet.

Tenho de montar o meu escritório no telhado, para tratar de assuntos como certificação de assinaturas ou documentos oficiais. É muito triste que em pleno século XXI haja localidades como a nossa que não tem acesso sequer a um telemóvel", refere o autarca ao jornal "el Periódico Mediterrâneo".

A falta de cobertura de rede é tanta que Víctor afirma que, nesta localidade de Els Ports, há famílias que não podem fazer um telefonema a partir de casa porque simplesmente “não há serviço”.

Somos mais de dez agricultores que não podem realizar algumas operações básicas, que noutras localidades se fazem por via digital", lamenta Víctor Milán, sublinhando que espera que a situação possa mudar porque é uma forma de combater a desertificação.

Ironicamente, o caso de Víctor tornou-se viral nas redes sociais e o autarca já fez saber que vai aprovar uma moção a exigir o reforço da cobertura por parte das operadoras, mas apela a que outras autarquias se juntem à causa.

Todos os municípios devem estar unidos. É um problema comum que se arrasta e todos precisamos da mesma solução: uma rede de cobertura móvel para todo o território e a implantação efetiva de fibra ótica para ter uma conexão de qualidade", apelou.

O problema da falta de cobertura nas localidades do interior é comum a outras regiões de Espanha: Há dias, foi notícia a localidade de Navacepedilla de Corneja, na província de Ávila, onde os habitantes precisam de andar cerca de dois quilómetros quase todos os dias para irem ao cemitério, o único lugar onde os telemóveis têm rede.

Redação / RL