Penhoram-se bens móveis ou imóveis quando alguém tem dívidas por liquidar. Já confiscar um animal de estimação é algo impensável... Ou nem tanto. Uma cidade alemã resolveu cobrar uma dívida assim mesmo, tirando uma cadela aos donos e vendendo-a na internet.

Inicialmente, a ideia das autoridades de Ahlen era ficarem com a cadeira de rodas do dono (que padece de uma deficiência), por ser o bem mais valioso da casa. Só não a puderam levar porque pertencia não à família, mas ao seguro de uma associação de trabalhadores. Acabaram por levar Edda, uma cadela preta da raça pug, com pedigree - também valiosa, portanto. 

O bicho esteve à venda no eBay por 750 euros, o que na verdade é metade do valor que costuma ser pago por um cão com estas características na Alemanha. Edda foi comprada por uma polícia, Michaela Jordan, que estranhou o preço tão baixo, como afirmou ao jornal alemão Ahlener Tageblatt.

A mulher soube da razão da venda ao ligar para o número que constava no anúncio online e contou que teve a garantia de que o animal era saudável. Mas não: a nova dona alega que Edda tem problemas de saúde que lhe omitiram e que já teve de ser operada quatro vezes a problemas oculares, só desde dezembro. Uma delas, terá sido uma cirurgia de emergência, pelo Natal.  Quer ser indeminzada pelas autoridades da cidade de Ahlen, tendo em conta que gastou, pelo que diz, cerca de 1.800 euros com a cadela. 

A imprensa alemã também encontrou os antigos donos. Ao mesmo jornal local, a ex-dona criticou dois fiscais da câmara e um oficial de justiça pela forma "totalmente errada" como o processo decorreu e como atuaram em sua casa. Fonte da câmara alegou, segundo a BBC, que confiscar um animal de companhia "não é o procedimento padrão". 

Embora saiba que a cadela "está em boas mãos", a antiga dona confessou que os seus três filhos têm saudades de Edda.