Um rapaz indiano de sete anos tinha 526 dentes na boca. A maioria dos dentes estavam alojados na gengiva, onde deveriam estar os molares. Os pais de Ravindran estranharam quando, aos três anos, o menino apresentou um inchaço na boca. No hospital, foi-lhes dito que não tinha sido detetado qualquer problema.

O inchaço foi aumentando e o rapaz nunca chegou a ter dentes naquela zona da gengiva. Devido a dores intermitentes, os pais de Ravindran acabaram por levá-lo novamente ao médico, onde viria a ser descoberta uma espécie de bolsa que continha várias formações dentárias, que variavam entre 0,1 a 3 milímetros e pesavam um total de 200 gramas. 

Após a descoberta, o rapaz foi operado por uma equipa de cirurgiões do Hospital Unviersitário de Saveetha, na cidade de Chennai. A malformação dentária impedia os dentes molares do maxilar inferior direito de crescerem. Ravindran vai agora necessitar de dois implantes dentários, que poderão ser colocados a partir dos 16 anos.

Uma TAC revelou vários dentes que estavam a empurrar os dentes definitivos para a parte de baixo do maxilar. Planeámos uma operação conservadora, sem a remoção do maxilar”, explicou Senthilnathan, professor do Departamento de Cirurgia Oral e Maxilo-Facial, à imprensa indiana.

Outro dos responsáveis pelo caso, o médico Pratibha Ramani, disse que o problema poderá ser de origem genética, mas não exclui outras hipóteses, nomeadamente o problema ter sido causado por radiações ou causas ambientais.

O pai da criança revelou que chegou a temer que a operação não corresse bem: “Duvidámos do sucesso do procedimento depois de nos mostrarem a TAC”.

A cirurgia durou cerca de duas horas, mas foram precisos dez dias para a preparação. Ravindran teve alta três dias depois e chegou a casa com 21 dentes.