Uma mulher italiana acordou depois de ter estado 10 meses em coma e a primeira coisa que fez foi perguntar pela mãe. Cristina Rosi, de 37 anos, estava grávida de sete meses quando sofreu um ataque cardíaco, em julho do ano passado, e deu entrada nas urgências de um hospital.

A filha, Caterina, nasceu de cesariana, mas nem tudo correu bem. Rosi ficou de imediato em coma, porque os médicos suspeitavam que tivesse sofrido uma lesão cerebral. 

De acordo com o marido, Gabriele Succi, em declarações ao jornal italiano La Nazione, a primeira palavra que a mulher disse quando acordou foi "mamma" (mãe em italiano). 

Não estávamos à espera, foi uma enorme alegria depois de tanto sofrimento", disse.

O marido, de 42 anos, e a mãe, Mirella, estiveram sempre ao lado de Cristina.

Em abril deste ano, Cristina foi transferida para uma clínica em Zirl, na Áustria, para poder receber tratamento especializado durante a sua recuperação.

Todo o processo e a medicação foram pagos através de um página de crowfunding que arrecadou, até agora, cerca de 170 mil euros. Este valor já vai ajudar a pagar uma parte da reabilitação neurológica e da fisioterapia que Rosi tem de fazer. 

A filha de Cristina e Gabriele passou vários meses no hospital por ter nascido prematura e de ter sofrido algumas mazelas devido à falta de oxigénio durante o parto. 

Cristina tem feito imensas videochamadas com a família, amigos e a filha para estimular cérebro e ajudar a reconstruir memórias e o contexto familiar e social em que vivia. 

Os profissionais de saúde que a têm acompanhado em todo este processo consideram essencial que sejam criadas imagens da família e do mundo. 

Cláudia Évora