Uma lagosta ganhou uma nova oportunidade de viver depois de um chef de cozinha, de um restaurante em Ohio, nos Estados Unidos, se ter recusado a cozinhá-la.

Trata-se de uma rara lagosta de casca azul e, por isso, foi enviada para o jardim zoológico de Akron, onde acabou por se juntar a outros animais da mesma espécie.

Quando chegou ao aquário, o animal foi apelidado de Clawde.

As imagens da lagosta foram publicadas nas redes sociais e já se tornaram virais. Segundo os especialistas, uma em cada dois milhões de lagostas é azul.

O jardim zoológico refere ainda que a coloração azul da casca é o resultado de uma anomalia genética que estimula o crustáceo a produzir uma certa proteína em quantidade excessiva.

Existem ainda outras espécies raras de lagostas. As probabilidades de encontrar uma lagosta de duas cores – cor de laranja e preta – ou mesmo uma amarela, são de uma em 30 milhões.

No entanto, a lagosta mais difícil de ser vista é a chamada albina ou cristal, cuja casca não tem cor. A probabilidade de encontrar uma lagosta destas é de uma em 100 milhões.

Lara Ferin