Vít Jedlicka


«A comissão organizadora encarregou o Presidente de anunciar a criação do novo Estado aos países vizinhos, à ONU e ao mundo através de notas diplomáticas. Os fundadores do novo Estado gostariam de criar uma sociedade onde as pessoas decentes podem prosperar sem restrições do Governo e impostos desnecessários. Os nossos modelos são o Mónaco, o Liechtenstein e Hong Kong», afirma Jedlicka, em comunicado.








através do site oficial

«Então decidimos abordar o assunto de outra forma. Temos de fundar outro país e realmente começar tudo ao contrário», afirma.

«Eu ainda vou continuar ativo na política checa», continua Jedlicka, embora refira que as leis da República Checa podem  proibir um Presidente de outro país de se candidatar à Presidência.

«Eu provavelmente resignaria e deixaria outra pessoa à frente dos destinos de Liberland, se houvesse alguma hipótese de fazer uma mudança política na República Checa», conclui.


Por enquanto, a declaração de independência do recém-nascido país foi enviada à Sérvia, Croácia e às Nações Unidas. As autoridades planeiam enviar o documento para mais países para obter o reconhecimento internacional.