O que parecia ser a descoberta de mais um monumento megalítico, em novembro passado, não passa de uma réplica construída por um agricultor escocês há cerca de 30 anos.

O conjunto de blocos de pedras, que os entendidos pensavam ter entre 3.500 a 4.500 anos de existência, é formado por dez pedras, cada uma com cerca de um metro de altura, dispostas num círculo com quase oito metros de diâmetro. Está situado a cerca de 40 quilómetros a este de Aberdeen, na Escócia.

O alegado monumento só foi descoberto porque o terreno em que se encontra foi posto à venda. E ao deparar-se com o anúncio da descoberta, um dos antigos donos da propriedade contactou os arqueologistas do município de Aberdeenshire, afirmando ser ele próprio o autor das esculturas.

Existem várias réplicas aqui na zona, mas nenhuma tão boa como esta. Ele sabia mesmo o que estava a fazer”, disse o arqueólogo Neil Ackerman, membro da equipa de arqueologia do Aberdeenshire Council, ao site de notícias Live Science.

O agricultor em causa construiu o círculo de pedras na década de 90 e o seu objetivo não era enganar ninguém, até porque o conjunto só poderia ser visto por quem entrasse na propriedade.

A equipa de arqueólogos, pela voz de Neil Ackerman, já assumiu o erro, com algum humor à mistura numa publicação no Twitter.

"Se acham que estão a ter um dia estranho no trabalho, pelo menos não são o tipo que, em declarações à imprensa, identificou um novo círculo de pedras pré-histórico, que afinal só deve ter 20 anos", ironizou.