Uma massa de água proveniente de um glaciar derretido alterou a crosta terrestre, uma camada do interior da Terra, na Gronelândia. A água, proveniente do degelo, perfurou o glaciar e a sua passagem por esta camada da Terra fez com que a forma da crosta fosse moldada.

A água percorreu 12 quilómetros através do Glaciar Rink, no oeste da Gronelândia, durante quatro meses. O fenómeno natural que ocorreu em 2012 afetou uma área equivalente a 18.000 Empire State Buildings, salienta o The Washington Post.

Durante os quatro meses, 6680 milhões de toneladas de água, em estado líquido e sólido, foram arrastadas pela crosta terrestre. Estes números foram apurados por um estudo conduzido por Erik Ivins, investigador do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA.

“Esta massa de água é capaz de dobrar um rochedo à volta dele próprio”, disse Erik Ivins.

O investigador afirmou que “nunca tinha sido detetado um fenómeno como este na Gronelândia ou Antártida”. O movimento foi detetado por um sensor GPS localizado numa área rochosa no interior da crosta terrestre.

“Estes fenómenos são raros e difíceis de detetar”, afirmou Erik Ivins.

O movimento de águas deu-se no verão de 2012 quando a maioria da superfície da Gronelândia ficou coberta com água líquida. Os investigadores suspeitam que parte daquela água, resultante do degelo, perfurou a camada de gelo e entrou na crosta terrestre.

O glaciar onde ocorreu este fenómeno está longe de ser o maior glaciar da Gronelândia. O glaciar Rink tem uma área de aproximadamente cinco quilómetros quadrados e é totalmente rodeado por água.