Espanha voltou a estar nas bocas do mundo por causa de um "restauro" de uma escultura de arte. Desta vez, a lesada é a escultura de uma mulher, na fachada de um edifício centenário na cidade de Palencia.

De acordo com os media espanhóis, a cabeça da escultura de Palencia tinha-se soltado durante as obras de conservação da fachada do emblemático edifício e, uma vez restaurada e recolocada, passou despercebida até agora.

O resultado questionável do restauro no edifício da sede do banco Unicaja, situado no centro da cidade, junto ao convento de Agustinas Canónigas, foi denunciado nas redes sociais pelo pintor Antonio Capel.

Parece uma personagem de desenhos animados", destaca o artista

"O Ecce Homo de Palencia"

Nas redes sociais, a restuaração é já apelidada de "o Ecce Homo de Palencia": uma comparação, em termos de qualidade, ao restauro do fresco de Ecce Homo, que, em 2012, também em Espanha, ficou conhecido como “o pior restauro da história”.

O Cristo de Elías García Martínez, pintado a óleo numa parede do Santuário da Misericórdia de Borja, perto de Saragoça, foi alvo de uma reparação de uma octogenária, por iniciativa própria.

À semelhança do que aconteceu com o "Ecce Homo", a figura de Palencia é já um fenómeno. Na rua, são muitos os traseuntes que param para apreciar e fotografar a escultura.

Rafaela Laja