Milhares de urechis caupo, popularmente conhecidos como "peixes-pénis", foram encontrados no areal da praia de Drakes Beach, na Califórnia, depois de uma tempestade.

Esta não é a primeira vez que o fenómeno acontece. Segundo especialistas, estes animais vivem em tocas cavadas em formato de "U", a vários metros de profundidade e em solos lamacentos e arenosos no fundo do mar, mas são arrastados para a praia quando ocorrem fortes tempestades.

O “peixe-pénis” é também conhecido como "verme hospedeiro", uma vez que as suas tocas são temporárias e, quando abandonam, estes buracos são utilizados por outras criaturas subaquáticas. 

A cauda serve tanto para locomoção, como alimentação e fixação nas tocas. No entanto, quando fora destas, os peixes-pénis tornam-se presas fáceis para lontras, tubarões e até seres humanos, uma vez que podem ser consumidos.

Um urechis caupo pode viver até aos 25 anos e alimenta-se de bactérias, plâncton e outras partículas que são capturadas através de uma "rede" viscosa produzida pelo próprio.

Este tipo de verme marinho invertebrado existe apenas nos Estados Unidos e em alguns países da Ásia, como a Coreia do Sul, Japão, e China. As evidências fósseis mostram que a sua existência data os 300 milhões de anos.

Apesar do apesar do aspeto estranho, a espécie é mesmo uma iguaria em alguns países asiáticos, onde é comido mesmo no estado cru.

 Ainda assim há métodos de preparação mais sofisticados como um arroz de peixe pénis com ovo frito. Prato confecionado, sobretudo, na Coreia do Sul.

/ RL