Uma triatleta foi sequestrada na Áustria e levada para casa do raptor, que a tentou afogar, mas que acabou por a libertar, depois de elogiar as flores que enfeitavam a residência.

Foi no dia 20 de julho que Nathalie Birli, de 27 anos, foi raptada, enquanto andava de bicicleta perto de Graz, na Áustria.

O homem de 33 anos terá atingido a atleta na cabeça com um pau até ficar inconsciente, atalhando-lhe os braços e pernas e atirando-a depois para o porta-bagagens da sua carrinha.

Nathalie Birli contou ao jornal alemão Kronen Zeitung que acordou com dores num dos braços, que partiu no momento do rapto, completamente nua e atada a uma cadeira, numa casa que não conhecia.

A atleta garante que o raptor tinha uma faca, que a vendou e forçou a beber uma grande quantidade de álcool. Mas tentou confortá-la dizendo que a libertaria no dia seguinte.

Contudo, levou-a depois para a casa de banho, e deitou-a numa banheira cheia de água, tentando sufocá-la. Segundo Nathalie Birli, o raptor chegou mesmo a expressar o desejo de afogá-la naquele local.

Depois do momento de tortura, tirou-lhe a venda e deixou-a caminhar livremente pela casa. A mulher reparou nas orquídeas que enfeitavam as várias divisões e teceu elogios às flores. De acordo com a BBC, foi nesta altura que o homem terá começado a falar sobre a sua vida, contando a Nathalie que o pai tinha morrido, “a mãe era alcoólica e que a namorada o tinha traído”.

Depois da conversa, a triatleta suplicou ao raptor que a deixasse ir embora.

Eu sugeri: vamos dizer que tudo não passou de um acidente”, contou.

Surpreendentemente, o homem aceitou o pedido e levou-a a casa, onde estava o seu marido com o filho de três meses, e que acabou por alertar as autoridades do que se tinha passado.

No dia seguinte, as autoridades detiveram o alegado raptor por causa do sequestro.