Já se sabia que fazer sexo pode fazer perder até 100 calorias, mas um novo estudo veio revelar que o sexo ajuda também a reduzir o apetite.

De acordo com um estudo da Universidade de York, a hormona responsável pela diminuição do apetite também é influenciada pela periodicidade do ato sexual, uma vez que a produção de oxitocina aumenta com o orgasmo, reduzindo a vontade de comer “aquelas bolachas delíciosas” ou “aquela pizza”.

A equipa responsável pela investigação estudou as variações no recetor genético da oxitocina, responsável por produzir a também conhecida como “hormona do amor”. Os ensaios focaram-se em como a hormona afeta o apetite, as preferências em relação aos alimentos, a ingestão dos mesmos e os traços de personalidade associados ao sentimento de recompensa presente no cérebro.

A recolha de amostras de sangue para a análise do ADN foi feita num grupo etário entre os 27 e os 50 anos, com variados valores de peso e incluindo um ‘número substancial’ de pessoas com um grande apetite.

Os investigadores encontraram sete indícios que provam que os fenómenos químicos para a produção da oxitocina podem variar de individuo para individuo. A esta variação os responsáveis pela investigação deram o nome de “polimorfismo de nucleotídeo único (PNU)".

Depois de recolhidos os dados de ADN, a equipa desenvolveu um questionário para os participantes, onde pedia respostas relacionadas como os hábitos alimentares, preferência por açúcar ou gordura, e como o sistema cerebral reage à recompensa ou à punição, tendo sido concluído que o PNU está associado a fatores de risco psíquicos ligados ao excesso de apetite.

Caroline Davis, responsável pela investigação, revelou que “três PNU identificados estão significativamente relacionados com questões psicológicas, que coletivamente representavam 37% na variação da reação ao apetite; outra prova de PNU está diretamente associada a essa reação”.

Os resultados também revelaram ainda como a “hormona do amor” afeta o excesso de apetite.

A oxitocina está associada a comportamentos pró-sociais e afins. O aumento da oxitocina tende para a diminuição do apetite – especialmente a compulsão pelos hidratos de carbono”.

Redação / JMD