Uma repórter do canal 7News de Boston, nos Estados Unidos, encontrou um cão que tinha sido roubado de um carro, e ainda o ladrão, quando filmava uma reportagem sobre o cão roubado.

A câmara estava ligada quando Juliana Mazza, alertada pelo seu repórter de imagem, que meteu conversa com um homem que passeava um cão, reparou que o animal parecia o pointer desaparecido, "Titus". O suposto dono também correspondia à imagem de videovigilância divulgada pela polícia, vestindo inclusive o mesmo casaco preto.

A repórter aproximou-se de ambos e com a desculpa de fazer festas ao cão, baixou-se para ver a chapa com o nome e confirmar se estava lá escrito "Titus"

O ladrão, já desconfiado, respondeu que era suposto estar a passear um cão, num serviço de dogwalking, mas que sem saber muito bem como trouxe o cão errado. Garantiu também que já tinha tentado ligar para o número na chapa mas que o mesmo não estava a funcionar.


A equipa de reportagem conseguiu chamar a polícia e o suspeito, identificado como Kyle Garipey, foi detido, apesar de ter alegado que tudo não passava de um mal entendido.

Kyle Garipey disse à polícia que o cão estava a ladrar dentro do carro e que ele achava que era o cão que era suposto passear. Não convenceu as autoridades, tendo sido acusado de furto de animal, arrombamento de viatura para cometer crime e multa de cerca de mil euros.

"Titus" foi, entretanto, entregue ao legítimo dono, Greg Siesczkiewicz.

Catarina Machado