As autoridades da Alemanha e da Bélgica apreenderam esta quarta-feira 23 toneladas de cocaína, "um recorde na Europa", de acordo com autoridades alfandegárias alemãs.

Na sequência da investigação, um proprietário de uma empresa de importação de 28 anos em Roterdão foi preso na Holanda durante a manhã e a polícia holandesa fez buscas em duas instalações, uma na cidade portuária e outra numa vila próxima.

De acordo com a polícia holandesa, a droga tinha como último destino a Holanda e foi detetada no porto de Hamburgo, graças a uma denúncia de uma empresa.

As 16 toneladas de droga apreendidas em Hamburgo estavam dissimuladas em contentores vindos do Paraguai.

 

Os funcionários da alfândega do movimentado porto de Hamburgo examinaram mais de perto os contentores paraguaios, ao perceber “claras irregularidades” no conteúdo dos mesmos.

Ordenando que os contentores fossem descarregados, os funcionários descobriram que “além de uma camada de produtos genuínos embalados, inúmeras latas estavam, de facto, cheias com outros produtos”. A cocaína foi encontrada em mais de 1.700 latas.

A quantidade de cocaína apreendida é um recorde absoluto. “Nunca antes tanta cocaína foi interceptada de uma só vez ”, disseram as autoridades holandesas em comunicado.

A mesma operação levou as autoridades a apreender outras 7,2 toneladas no porto de Antuérpia, na Bélgica. Neste, a cocaína estava escondida num contentor preenchido por blocos de madeira.

A operação internacional estima que a apreensão tenha um valor de mercado de entre 1.5 e 1.5 mil milhões de euros. A droga terá origem em países da América Latina, principalmente da Colômbia, Brasil e Equador.