Os líderes do G8, reunidos em Toyako, concluíram esta terça-feira um acordo para a redução das emissões de gazes com efeito de estufa e exprimiram preocupação em relação à subida dos preços do petróleo e dos alimentos, escreve a «Lusa».

Os chefes de Estado e de governo dos oito países mais industrializados do mundo concluíram um acordo para reduzir as emissões mundiais de gazes com efeito estufa em «pelo menos 50 por cento» até 2050 e para definir posteriormente, país a país, objectivos a médio prazo, refere a declaração comum.

Este acordo concluído depois de uma noite de difíceis debates abre caminho para as negociações previstas pela ONU para um acordo global em finais de 2009.

Os Estados Unidos obtiveram concessões de datas e restrições, mas subscreveram nesta perspectiva programada o que sempre tinham recusado anteriormente.

Na declaração comum, o G8 também apela para a «contribuição de todas as principais economias», uma fórmula que visa envolver os grandes países emergentes tais como a China ou a Índia, que era uma exigência de Washington.