O Ministério do Ambiente deu parecer desfavorável ao traçado do IC11, que iria ligar Torres Vedras a Peniche, por afectar «extensas áreas agrícolas» em solos valiosos onde se concentram várias explorações hortícolas, noticia a Lusa.

A Declaração de Impacte Ambiental (DIA), emitida a 21 de Janeiro, refere que, apesar de a melhoria das acessibilidades ser uma das justificações para avançar com a nova ligação «estas são já asseguradas pelo IP6, em Peniche, pelo IC1 (A8) em Torres Vedras«, enquanto a Lourinhã fica apenas a 15 quilómetros da A8.

Da avaliação do projecto do IC11, que se desenvolve «numa região com uma fortíssima componente agrícola com a presença de extensas áreas de pomares, bem como vinhas e produtos hortícolas», resultou que qualquer das soluções propostas afectaria áreas agrícolas (cerca de 100 hectares) e extensas áreas de solos classificados como RAN (Reserva Agrícolas Nacional).

Nesta zona concentra-se «um elevado número de operadores hortícolas» o que evidencia a importância económica desta actividade a nível regional, nacional e internacional.

O documento salienta que «as hortícolas de ar livre são consideradas produtos estratégicos nos concelhos da Lourinhã e Peniche» e que a área merece também ser preservada por integrar a Região Demarcada das Aguardentes Vínicas da Lourinhã e a área geográfica correspondente à DOC deste concelho.

Outras preocupações são os impactes cumulativos resultantes da multiplicação de infra-estruturas rodoviárias e os impactes indirectos devido «ao efeito barreira e às parcelas sobrantes que a passagem da via produzirá e que comprometem a viabilidade das explorações agrícolas».

O lanço do IC11, com uma extensão de 26 quilómetros, tem início no nó de Atouguia da Baleia (IC6) e termina no nó do Ameal (A8), apresentando-se como uma alternativa às EN 247 e EN 8-2 nos concelhos de Peniche, Lourinhã e Torres Vedras.

No mesmo projecto foi também considerada a ligação à zona industrial de Palhagueiras, com seis quilómetros, que obteve uma DIA favorável, mas condicionadas.