A camada de ozono manteve-se estável na última década, revela um estudo do Programa da ONU para o Ambiente e pela Organização Mundial de Meteorologia.

O estudo, divulgado esta quinta-feira em Genebra, é a primeira actualização feita em quatro anos sobre o assunto. Mostra que o escudo que protege a Terra dos níveis nocivos de raios ultra-violetas se manteve sem aumentar ou diminuir, conta a Lusa.

Com excepção das regiões polares, os especialistas estimam que a camada de ozono recupere antes de meados deste século, alcançando os níveis registados antes de 1980.

A diminuição da camada pode provocar danos nas colheitas, nos peixes e no plâncton de que se alimentam, mas também tem efeitos na saúde das pessoas, contribuindo para um aumento de problemas de visão e de pele.

Em 1987 foi aprovado internacionalmente o Protocolo de Montreal que regulou a utilização das substâncias que destroem a camada de ozono.

Segundo o estudo, a diminuição destas substâncias veio contribuir para ajudar a manter estável a camada protectora da Terra.
Redação / CF