A segunda barreira apontada por 33% dos inquiridos é a ausência de um computador, seguido de 9,7% que apontam o preço do serviço é o principal entrave.



No que se refere à questão sobre os principais motivos para não migrar da banda estreita para a banda larga, o desinteresse volta a resposta mais comum, com 30,4% dos inquiridos. Cerca de 27,6% atribuíram a responsabilidade aos preços elevados.
Redação