No jantar com convidados promovido pela Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), que decorreu esta terça-feira em Lisboa, embora tenha recusado traçar cenários hipotéticos e «decidir sobre sentidos prováveis de decisão», o presidente da Anacom respondeu assim à possibilidade de fusão da Sonaecom com a Vodafone, noticiada nos últimos dias, depois da primeira operadora ter falhado a Oferta Pública de Aquisição (OPA) à Portugal Telecom.

Quanto à sua deliberação na OPA sobre a PT, a Anacom lembrou ainda que o seu parecer «não foi vinculativo» e só o seria «caso tivesse ocorrido um pedido de fusão entre a Optimus e a TMN, que nunca foi pedido», sublinhou Amado da Silva.
Rui Pedro Vieira