«Agora, o que nós sabemos é que ou a Europa muda de política, ou a Europa perderá o apoio popular, esgotar-se-á e deixará de ser um fator de garantia da paz, da democracia»

não há qualquer possibilidade de aliviar ainda mais a dívida helénica

«A verdadeira e única lição que temos a retirar das eleições gregas é que o PS em Portugal não é nem será o PASOK, porque não estamos cá para servir as políticas que têm sido seguidas mas, pelo contrário, criar alternativa às políticas que têm sido seguidas»


«Este é um ano decisivo, onde mais uma vez PS é chamado a responder às grandes opções que temos pela frente». «Hoje, o grande desafio (...) é o desenvolvimento, a sério, com base na qualificação e não com a ideia tragicamente seguida por este governo de que era empobrecendo que podíamos desenvolver-nos», acrescentou.

afeta já dois milhões de portugueses



Redação / VC