Covid-19

Todas as notícias sobre o novo coronavírus que está a preocupar as autoridades a nível mundial.
29 Março 2020

AO MINUTO

11:12

Leiria começa esta quinta-feira a realizar no estádio cem testes por dia

O centro de testes instalado no Estádio de Leiria, com capacidade para fazer cem testes por dia a pessoas potencialmente infetadas com Covid-19, entra esta quinta-feira em funcionamento, anunciou o município.

Segundo a autarquia, os testes são gratuitos e realizados mediante a apresentação de prescrição médica do Serviço Nacional de Saúde, permitindo ao utente permanecer no interior da viatura durante o procedimento.

O centro de testes instalado no interior da infraestrutura desportiva dispõe de duas linhas de atendimento, estando prevista a entrada de viaturas pelo portão junto ao topo norte do estádio e saída pela porta da maratona, situada no topo sul.

O serviço de rastreio à Covid-19 arranca esta quinta-feira às 15:00 e funciona nos dias úteis, entre as 09:00 e as 20:00.

Os testes são realizados por um laboratório com sede em Leiria e resultam de uma parceria entre o município de Leiria, Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria e Autoridade Regional de Saúde do Centro.

O presidente da Câmara de Leiria alerta a população que não se deve dirigir por iniciativa própria ao centro de testes, reforçando a necessidade de “apresentação de prescrição médica”.

Estamos muito satisfeitos por finalmente entrar em funcionamento esta unidade, que consideramos fundamental para garantir uma rede eficaz de resposta na região, o que apenas foi possível após longas horas de negociação com o Ministério da Saúde”, afirma Gonçalo Lopes, citado pela assessoria de imprensa do município.

11:08

PCP pede medidas para travar “problema social” das “maiores dimensões”

O PCP voltou esta quinta-feira a manifestar as suas reservas ao estado de emergência devido à pandemia de covid-19 e pediu medidas para que o “problema de saúde não se transforme num problema social de ainda maiores dimensões”.

“São muitas as necessidades a que é preciso dar resposta para que o problema de saúde pública não se transforme num problema social de ainda maiores dimensões”, afirmou o líder parlamentar dos comunistas, João Oliveira, no debate, no parlamento, sobre o prolongamento do estado de emergência devido à pandemia.

Com o “surto epidémico”, afirmou, o país enfrenta “um conjunto grande de problemas sanitários, económicos e também sociais” e para a sua solução o estado de emergência não é obrigatório.

“É nas decisões políticas que, com ou sem estado de emergência, têm de ser tomadas que devem ser feitas opções que resolvam os problemas que temos e teremos pela frente”, disse, recusando que o estado de exceção seja “o pretexto para se impor a lei da selva na vida e nos direitos dos trabalhadores”.

11:07

CDS favorável à renovação da emergência em nome da “unidade”, mas não unanimismo

O líder parlamentar do CDS-PP, Telmo Correia, defendeu esta quinta-feira a renovação do estado de emergência devido à pandemia de Covid-19 e pediu a clarificação e eventual agravamento de medidas, mas alertou que "unidade não significa unanimismo".

Na sua intervenção no debate parlamentar sobre a renovação do estado de emergência, Telmo Correia salientou que o CDS tinha razão quando pediu "medidas mais drásticas e mais cedo" relativas ao fecho das escolas e das fronteiras e quer agora clarificação sobre as regras de circulação.

Temos de pedir ao Governo que estas medidas sejam clarificadas, que seja evidente o que as pessoas podem e não podem fazer e se o Governo admite introduzir um quadro sancionatório adequado e proporcional", afirmou.

Citando o papa Francisco, Telmo Correia repetiu que "ninguém se salva sozinho": "Damos unidade, mas não nos peçam unanimismo, seria um erro deixarmos de ter diferenças de opinião", afirmou.

"Somos todos portugueses, mas não somos todos socialistas e ainda bem", referiu.

11:06

Joacine Moreira quer subsídios para arrendatários e senhorios particulares

A deputada Joacine Katar Moreira defende que devem ser garantidos subsídios a arrendatários e senhorios particulares, ao invés da contração de empréstimos sugerida pelo governo, para cidadãos em situação vulnerável no contexto da pandemia de Covid-19.

A proposta de lei do governo que estabelece um regime excecional para as situações de mora no pagamento da renda devida nos termos de contratos de arrendamento urbano habitacional e não habitacional, no âmbito da pandemia da Covid-19, é discutido e votado esta quinta-feira na Assembleia da República sobre o estado de emergência nacional.

No âmbito desta discussão, a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira entregou uma proposta de alteração ao diploma do executivo na qual considera que "cabe ao governo garantir a solidariedade para com quem não consegue suportar as rendas de habitação (muitas fruto da especulação imobiliária dos últimos anos) atribuindo subsídios e não encaminhado os cidadãos mais vulneráveis à crise pandémica e social para a contração de empréstimos".

"Deste modo, a principal alteração à proposta do governo é a da garantia de subsídios aos arrendatários e a senhorios particulares, através de verbas a transferir para o IHRU, I. P. [Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana] pela Direção-Geral do Tesouro e Finanças", escreve a deputada.

Joacine Katar Moreira sugere também um realojamento de emergência para "cidadãos que vivam em condições indignas, precárias, insalubres e inseguras, sobrelotadas ou inadequadas", que deverá ser assegurado pelas Uniões e Juntas de Freguesia através da requisição de alojamentos.

Entre as alterações apresentadas, Joacine defende ainda a impossibilidade de atualização da renda durante o período do estado de emergência, a fixação de um prazo estendido - até ao dia 15 de cada mês - para os inquilinos efetuarem o pagamento da renda e a redução do montante da renda em igual percentagem para os arrendatários habitacionais que, comprovadamente tiverem os seus rendimentos reduzidos.

A atribuição de "subsídios ou isenção da tributação serem atribuídos apenas a senhorios particulares, excluindo expressamente qualquer outro" e a "salvaguarda das pessoas que alugam partes de casa, por exemplo, quartos" são outras das sugestões da deputada não-inscrita.

11:02

BE defende que direitos à greve e à resistência “não deviam constar” do estado de emergência

A coordenadora do BE assinalou esta quinta-feira que o estado de emergência é necessário para evitar a rutura do Serviço Nacional de Saúde, mas considerou que o decreto não deveria conter “referências ao direito à greve e direito à resistência”.

Durante o debate sobre o prolongamento do estado de emergência, que decorre esta quinta-feira na Assembleia da República, Catarina Martins notou que se impõe agir para “impedir essa catástrofe”.

“As medidas de limitação de circulação e de afastamento físico parecem estar a resultar, o crescimento da curva do número de infetados com Covid-19 abrandou, o que é uma boa notícia, mas continua a aumentar e o perigo de rutura nos cuidados de saúde não está afastado, é muito real. Evitá-lo significa, desde logo, proteger os profissionais de saúde e dotar o SNS de todos os meios necessários para responder à pandemia”, salientou.

Apontando que “os profissionais de saúde têm sido incansáveis” e destacando “os esforços de tantos trabalhadores que tudo têm feito para salvar vidas”, a líder do BE vincou que “essa é a primeira razão para ser necessário o estado de emergência”.

Por isso, o partido concorda “com a sua prorrogação durante mais duas semanas”.

Catarina Martins ressalvou, porém, que “a experiência dos últimos 15 dias reforça” a “convicção de que as referências ao direito à greve e ao direito à resistência, não acrescentando nada aos poderes constitucionais do Governo face a uma calamidade, não deviam constar do decreto” presidencial sobre o estado de emergência.

“Para responder a esta pandemia, o Governo não precisa de se proteger dos direitos dos trabalhadores, precisa sim de proteger quem trabalha reforçando direitos, precisa de proteger o emprego, a saúde, os rendimentos e as condições de segurança no exercício de todas as atividades que continuam”, indicou.

10:58

Câmara de São Pedro do Sul suspende transportes públicos

A Câmara Municipal de São Pedro do Sul suspende a partir desta quinta-feira os transportes públicos de passageiros no concelho devido à pandemia da Covid-19.

“O Município informa que a partir do dia 2 de abril, por tempo indeterminado, não haverá rede de transportes públicos de passageiros no concelho, devido à evolução epidemiológica da Covid-19”, informa o município, em comunicado.

A medida surge depois de o município criar uma linha de apoio (916 691 087 ou o ‘email’ redesocial@cm-spsul.pt) para “apoiar os munícipes em situação de isolamento social” e, para isso, basta “sinalizar as necessidades”, sejam elas de “bens alimentares, medicamentos ou situações de pagamentos urgentes”.

Um apoio social feito em parceria com o Instituto de Segurança Social de Viseu e com as corporações de bombeiros do concelho e que decorrerá “durante esta fase de prevenção da pandemia”.

A autarquia assume na sua página oficial no Facebook que “o concelho contabiliza, no dia 1 de abril, quatro casos confirmados com o novo coronavirus” e, neste sentido, anuncia que tem “camas disponíveis para casos sinalizados pelos serviços de saúde ou da segurança social”.

“O município equipou e higienizou parte do antigo hospital de S. Pedro do Sul, que dispõe agora de 40 camas. O concelho dispõe de mais espaços de retaguarda, nomeadamente a Casa Alice Félix, em Santa Cruz da Trapa, e algumas unidades hoteleiras nas Termas de S. Pedro do Sul”, informa o documento.

10:55

Empresas de Valongo e comerciais do Porto doam 5.000 viseiras a 10 hospitais

Fabricantes de componentes automóveis de Valongo aproveitaram a atual paragem económica para produzir 5.000 viseiras de proteção médica que comerciais de uma concessionária do Porto distribuirão esta sexta-feira por 10 hospitais e instituições da região Norte e Centro.

Segundo revelou esta quinta-feira fonte da organização da iniciativa, essa "caravana de distribuição" visa apoiar profissionais de saúde e da proteção civil na luta contra a Covid-19 e abrange, assim, os hospitais de São João e Santo António (no Porto), Pedro Hispano (em Matosinhos), Santos Silva (em Vila Nova de Gaia), São Sebastião (em Santa Maria da Feira), Padre Américo (em Penafiel) e Coimbra.

A essas unidades de saúde acresce ainda o hospital de campanha no Pavilhão Rosa Mota, no Porto, o quartel dos Bombeiros Voluntários de Matosinhos/Leça e a Câmara Municipal de Valongo.

Exibindo em baixo-relevo a mensagem "vai ficar tudo bem", as viseiras foram produzidas pelas empresas Solidtech e Soplast, ambas instaladas em Valongo e habitualmente dedicadas ao fabrico de componentes automóveis e à injeção de plásticos, enquanto a distribuição vai caber a 15 profissionais de equipa de comerciais da Caetano Baviera Porto.

"Perante a urgência imposta às linhas de produção com a crise da covid-19 e a interrupção de abastecimento aos respetivos mercados, a Solidtech e a Soplast desenvolveram uma viseira de proteção específica e desenhada exclusivamente para dar um contributo na luta contra o flagelo vivido pelos operacionais de saúde, que estão na verdadeira linha da frente de combate", explicou Paulo Matos, chefe de vendas nessa concessionária da BMW.

Paulo Matos realçou que a produção das viseiras envolveu o voluntariado de vários trabalhadores que "estavam em casa e voltaram às fábricas especificamente para criar este material". É o caso dos profissionais da Soplast, que já se encontra em ‘lay-off’, regime que prevê a redução dos horários de trabalho ou a suspensão temporária dos contratos laborais.

O mesmo se aplica aos comerciais da Caetano Baviera Porto, que se disponibilizaram para proceder à entrega do equipamento, embora Paulo Matos informe que "todo o grupo está em ‘lay-off'".

Mesmo nessas circunstâncias, o chefe de vendas referiu que na próxima semana vão avançar duas outras iniciativas de solidariedade pelos comerciais da concessionária: um programa de "assistência a idosos do Grande Porto", envolvendo a distribuição de medicamentos e outros bens de primeira necessidade, e a distribuição de refeições aos seniores que, agora "impossibilitados de frequentar o Centro de Dia das Antas", passarão assim a receber o devido almoço em casa.

10:54

PSD diz que sem emergência teria sido “um desastre” e deixa aviso à banca

O presidente do PSD defendeu esta quinta-feira que sem a aplicação do estado de emergência a evolução da Covid-19 teria sido "um desastre" em Portugal, e deixou um aviso à banca que "não pode querer ganhar dinheiro com a crise".

"A banca deve muito, mesmo muito, a todos os portugueses e impõe-se agora que ajude quer as famílias quer as empresas. A banca não pode querer ganhar dinheiro com a crise", avisou, no debate parlamentar de renovação do estado de emergência, recebendo palmas da sua bancada.

Para o líder do PSD, a banca deve ter "lucro zero" nos exercícios de 2020 e 2021.

"Se a banca apresentar em 2020 e em 2021 lucros avultados, esses lucros avultados serão uma vergonha e uma ingratidão para com os portugueses", disse.

Quanto à crise sanitária, o líder do PSD defendeu que Portugal registou progressos desde que foi implementado o estado de emergência.

"Por isso, é indiscutível que temos de prolongar o estado de emergência e o PSD irá votar naturalmente favoravelmente", disse.

10:53
VÍDEO

"Se a banca apresentar lucros avultados em 2020 e 2021, esses lucros serão uma vergonha"

Rui Rio afirmou que o PSD irá votar favoravelmente ao decreto que alarga os poderes do Governo, no contexto da pandemia de Covid-19. No seu discurso, o líder do PSD falou sobre o papel "decisivo" da banca na recuperação económica do país.

Há 23 min
10:48
10:40

PS afirma que se mantêm todas as razões para vigência do estado de emergência

A líder parlamentar do PS considerou esta quinta-feira que se mantêm todas as razões para que o estado de emergência continue a vigorar em Portugal, tendo como objetivo conter a propagação da Covid-19.

Ana Catarina Mendes assumiu esta posição na abertura do debate do projeto de decreto presidencial que prolonga por mais 15 dias, até 17 de abril, o estado de emergência em Portugal.

"Duas semanas depois da declaração do estado de emergência, mantêm-se todas as razões que levaram à sua vigência e à necessidade de todas as cautelas na sua execução", afirmou presidente do Grupo Parlamentar do PS, numa intervenção em que também referiu que esta quinta-feira se assinalam os 44 anos da aprovação da Constituição da República de 1976.

10:29
VÍDEO

Covid-19: oito enfermeiros infetados no hospital Amadora-Sinta não recebem a totalidade do ordenado

O hospital Amadora-Sintra tem já 22 profissionais infetados com o novo coronavírus. Nenhum dos profissionais está internado e encontram-se  em casa a cumprir a quarentena. 

A TVI sabe que, desses 22, oito enfermeiros estão em casa sem receber o ordenado na totalidade, devido a estar em baixa médica.

Há 48 min
10:28
VÍDEO

Covid-19: clínicas dentárias estão fechadas. O que fazer em caso de urgência?

Mutias clínicas de medicina dentária estão fechadas devido à pandemia de Covid-19. Apenas os casos de urgência devidamente programados têm acesso a consultas. Orlando Monteiro Silva, bastonário da Ordem dos Dentistas, explicou o que fazer em caso de urgência, na TVI24

Há 59 min
10:27
10:27

Governo da Madeira dá parecer favorável a prorrogação do estado de emergência

O Governo da Madeira deu parecer favorável à proposta de prorrogação do estado de emergência durante mais 15 dias em Portugal, anunciou esta quinta-feira a presidência do executivo.

O governo madeirense de coligação PSD/CDS, liderado pelo social-democrata Miguel Albuquerque, recorda em comunicado que o decreto é hoje votado na Assembleia da República e “vem complementar o conjunto de medidas anunciadas há 15 dias, impondo novos limites em diversas áreas”.

Na quarta-feira, a Comissão Permanente da Assembleia Legislativa da Madeira também aprovou, por maioria, um parecer favorável à proposta de decreto do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

"O decreto que será apreciado e votado pela Assembleia da República concede mais poderes ao Governo nacional, aos governos regionais [da Madeira e dos Açores], aos senhores representantes da República e às autoridades de saúde pública para novas medidas de contenção e mais restrições à circulação de pessoas, nos próximos 15 dias", sublinhou José Manuel Rodrigues.

O responsável mencionou que a nova proposta "adita várias matérias" respeitantes à proteção do emprego, ao controlo de preços, ao apoio a idosos em lares ou no domicílio, ao ensino e à adoção de medidas urgentes para proteção dos cidadãos privados de liberdade.

"Tem um grande enfoque na restrição à liberdade de circulação, designadamente da circulação acompanhada e do direito de deslocação e fixação em qualquer parte do território nacional", referiu.

10:23
10:20
10:04

Câmara de Vouzela investe em testes para funcionários e utentes de lares

A Câmara de Vouzela disse esta quinta-feira que investiu “dezenas de milhares de euros” para realizar mais de 350 testes em funcionários e utentes de instituições sociais do concelho, de modo a mitigar a propagação da pandemia de Covid-19.

“A Câmara Municipal de Vouzela suportará todos os encargos financeiros que se venham a revelar necessários para que, com urgência, todos os funcionários das instituições sociais, bem como todos os utentes, sejam rapidamente objeto de diagnóstico para identificarmos eventuais fontes de contágio do Covid-19, de forma a travar a possível contaminação e propagação”, adianta a autarquia num comunicado.

O documento publicado na página oficial da autarquia no Facebook explica-se que, nesta primeira fase, "prevê-se a realização de mais de 350 testes, num valor de várias dezenas de milhares de euros que será inteiramente assumido pelo município”.

A realização dos mais de 350 testes tem como “grupos prioritários os funcionários dos lares e outras valências das instituições sociais, bem como dos seus utentes”, esclarece a fonte, que quer “minimizar a propagação do vírus e incrementar o restabelecimento das melhores condições de funcionamento destas instituições”.

“Trata-se de uma medida que vem reforçar outras já implementadas pela autarquia de forma a prevenir e mitigar os efeitos da pandemia no concelho, nas áreas da saúde, social e económica, mas sobretudo para proteger a população mais vulnerável e aqueles que estão na linha da frente”, lê-se.

10:03

China regista dezenas de novos casos diários de infeção vindos do exterior

A China regista dezenas de novos casos diários de contágio pelo novo coronavírus oriundos do exterior, apesar de ter interditado, no sábado passado, a entrada de estrangeiros no país.

Foram detetadas 35 pessoas infetadas com a Covid-19, todas vindas do exterior, nas 24 horas até à meia-noite na China (16:00 de quarta-feira em Lisboa), segundo as autoridades de saúde chinesas.

A Comissão Nacional de Saúde do país asiático informou ainda que morreram seis pessoas devido à infeção pelo novo coronavírus, na cidade chinesa de Wuhan, epicentro da epidemia.

No mesmo dia foram detetados 20 novos casos suspeitos, também importados.

Muitos chineses radicados no exterior estão a voltar ao país, à medida que a doença se alastra pelo resto do mundo, pelo que a China passou a contar com centenas de casos importados.

09:53

Miranda do Corvo financia aquisição de equipamentos de proteção para lares

O município de Miranda do Corvo anunciou esta quinta-feira um apoio superior a 5.000 euros a três instituições concelhias para aquisição de material de proteção individual em Estruturas Residenciais Para Idosos (ERPI) para fazer face à pandemia de Covid-19.

Em comunicado, esta autarquia do distrito de Coimbra informa que foram atribuídos 5.400 euros a distribuir pela Fundação ADFP (3.150 euros), Casa de Repouso O Solar das Chãs (1.275 euros) e Lar Dr. Clemente de Carvalho (975 euros).

"A verba destina-se proporcionalmente em função do número de utentes e terá de ser usada na aquisição de material de proteção individual para, desta forma, minimizar o risco de disseminação da covid-19 nestas entidades", adianta a nota.

De acordo com a autarquia, "a distribuição do subsídio extraordinário resultou de informações obtidas junto das três entidades e que apontam para que nas ERPI e UCCI do concelho estejam 210 utentes na Fundação ADFP, 85 utentes na Casa de Repouso O Solar das Chãs e 68 utentes no Lar Dr. Clemente de Carvalho".

Segundo o município, este apoio "será fundamental para as instituições cumprirem a Orientação (...) da Direção-Geral da Saúde" para as Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) e Unidades de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) da Rede Nacional de Cuidados Continuados (RNCCI).

Nessa orientação, a Direção-Geral da Saúde determina que sejam assegurados "os recursos necessários para proteger funcionários, colaboradores e utilizadores, nomeadamente disponibilizar equipamentos, suficientes e acessíveis em todos os locais da instituição, para reduzir a disseminação da infeção (equipamento para lavar as mãos ou produtos para higienização das mãos, toalhas de papel e recetáculos para a sua eliminação, máscaras cirúrgicas para colocação nos funcionários ou colaboradores ou utentes que iniciem sintomas respiratórios na instituição)".

Loading

N�o existem mais eventos...