Últimas Covid-19

Todas as notícias sobre o novo coronavírus que está a preocupar as autoridades a nível mundial.
04 Abril 2020
16 mar, 15:13
V�DEO

Covid-19: 800 escolas abertas, mas são raros os casos em que estão a ser usadas

Por todo o país há 800 escolas abertas para acolher os filhos dos profissionais de saúde e emergência que estejam a trabalhar. Mas são raros os casos em que estão a ser usadas. Médicos e polícias concordam com essa alternativa, desde que não seja uma imposição.



AO MINUTO

16:19
16:19
16:18
16:16
16:14
16:14

Pedidos de subsídio de desemprego nos Estados Unidos ascendem a 6,6 milhões

Os pedidos de subsídio de desemprego nos Estados Unidos atingiram os 6,6 milhões na semana passada, devido ao impacto da pandemia covid-19 nas atividades económicas, divulgou hoje o Departamento do Trabalho.

Os números alcançados na semana terminada em 03 de abril superam as estimativas dos analistas consultados pela EFE, que apontavam para 5,25 milhões de pedidos.

Na semana terminada em 28 de março, os pedidos de subsídio de desemprego nos Estados Unidos fixaram-se em 6,65 milhões.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 89 mil.

Dos casos de infeção, mais de 312 mil são considerados curados.

16:09
16:04

Empresa de Proença-a-Nova produz e oferece 400 viseiras de proteção facial

Uma empresa da área da construção de interiores, sediada no Parque Empresarial de Proença-a-Nova (PEPA), produziu e ofereceu 400 viseiras a várias instituições do concelho e dos concelhos vizinhos.

Em comunicado, a Câmara de Proença-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, explica que a empresa Ambienti D'Interni, com sede no PEPA, disponibilizou-se para construir viseiras de proteção facial, tendo o município lançado o desafio de dotar várias instituições com este complemento aos equipamentos de proteção individual.

A empresa produziu e ofereceu quase 400 viseiras a instituições do concelho de Proença-a-Nova e de concelhos vizinhos, onde se incluem as corporações de bombeiros de Proença-a-Nova, Pampilhosa da Serra, Mação, Sertã e Oleiros.

Foram ainda contemplados os centros de saúde de Proença-a-Nova, Sertã, Oleiros e Vila de Rei, a GNR, misericórdia, centros de dia, Agrupamento de Escolas e o município de Proença-a-Nova.

"A solidariedade é fundamental, qualquer que seja o cenário que vivamos, mas mais ainda em circunstâncias como aquelas que atravessamos atualmente", considera.

"Agradeço a disponibilidade da Ambienti D'Interni pelo gesto solidário que irá contribuir para uma maior segurança destes profissionais", refere, o presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Lobo.

O autarca sublinha que é fundamental a disponibilidade das empresas para adaptarem as suas linhas para a produção de equipamentos que se têm revelado fundamentais na segurança dos profissionais que têm de continuar a prestar serviços à população, apesar do perigo de contágio do novo coronavírus.

Destaca ainda a rede de solidariedade que o município e as Juntas e Uniões de Freguesia de Proença-a-Nova colocaram à disposição das pessoas integradas nos grupos de risco (idosos e doentes crónicos) e que, desde que está ativa, já realizou mais de cem serviços um pouco por todo o concelho, levando essencialmente medicamentos e bens de primeira necessidade.

"Todos temos de fazer a nossa parte, ficando em casa sempre que for possível e minimizando comportamentos de risco. No caso das pessoas do grupo de risco, é ainda mais imperioso que cumpram esta recomendação. Só assim conseguiremos evitar a propagação do vírus e que ele chegue junto dos mais vulneráveis", concluiu.

 

 

16:00
VÍDEO

Covid-19: hospital de campanha em Ovar já está em funcionamento

Depois de dez dias em construção, o hospital de campanha de apoio à pandemia de Covid-19 em Ovar já está em funcionamento.

A unidade funciona como uma extensão do hospital de Ovar e tem disponíveis 38 camas.

Há 2h e 19min
16:00

Governo autoriza atividade de produtores de energia que aguardavam licenciamento

O Governo assinou um despacho que permite aos pequenos produtores de energia elétrica, que aguardavam licenciamento, começar a produzir “de imediato”, segundo um comunicado do Ministério do Ambiente e Ação Climática.

O despacho, assinado pelo ministro João Pedro Matos Fernandes, “prevê a substituição do certificado de exploração por um certificado provisório para promotores de Unidades de Produção para Autoconsumo (UPAC) e Unidades de Pequena Produção (UPP), uma medida que irá vigorar enquanto durar o estado de emergência”, implementado para fazer face à pandemia de Covid-19, de acordo com a mesma nota.

Assim, este diploma irá possibilitar que “220 projetos de pequenos produtores de energia elétrica e produtores em autoconsumo de energia renovável, com produção inferior a 1MW [megawatts], que em conjunto perfazem 30 MW, e que aguardavam licenciamento, possam começar a produzir de imediato”, informou a tutela, que acredita que assim se irá contribuir para “o desenvolvimento destas empresas e para a redução das emissões de dióxido de carbono”.

A decisão permite que sejam “ultrapassados os constrangimentos impostos pela declaração de estado de emergência e que estavam a impedir a entrada em funcionamento destas instalações de pequenos produtores de energia elétrica”, incluindo as UPP e as UPAC, garantiu a tutela.

Depois de ser levantado o estado de emergência, e dentro de um prazo de seis meses que foi concedido, os produtores regressam ao procedimento habitual, que passa pelo pagamento de taxas de certificação que ainda não estejam saldadas e pela obtenção do certificado de exploração “com base no relatório de uma entidade inspetora”, destacou a tutela.

15:58

Moncorvo prolonga plano municipal de emergência até 1 de maio

O município de Torre de Moncorvo, no distrito de Bragança, anunciou esta quinta-feira o prolongamento do plano municipal de emergência de proteção civil até ao dia 1 de maio, mantendo-se as proibições anteriormente impostas.

"No momento atual, mantém-se o entendimento de que os contactos entre pessoas, que constituem forte veículo de contágio e de propagação do vírus, bem como as suas deslocações, devem manter-se ao nível mínimo indispensável, sendo de realçar para as finalidades pretendidas a especial necessidade de confinamento que impende sobre os cidadãos", lê-se numa nota pública no sítio oficial do município na Internet, assinada pelo presidente, Nuno Gonçalves.

Este município do Douro Superior cancelou no dia 5 de abril todas as iniciativas culturais previstas "para os próximos meses", sendo que o montante orçamentado é canalizado para fazer face às despesas resultantes do estado de emergência no concelho.

Aquele município entende ainda que, "enquanto durar o estado de emergência, está interdita a realização de quaisquer eventos de natureza desportiva e cultural, reuniões ou ajuntamento de pessoas, independentemente do motivo ou natureza".

"A interdição abrange a realização de quaisquer espetáculos desportivos, culturais e de divertimentos públicos nas vias, jardins e demais lugares públicos e privados, que estejam sujeitas a licenciamento municipal", indica a mesma nota.

Torre de Moncorvo apresenta 20 casos de pessoas infetadas com o novo coronavírus na unidade de cuidados continuados local, o que está a deixar as entidades locais sem soluções para a manutenção daquela estrutura.

15:53
VÍDEO

Covid-19: autarquia de Tomar distribui viseiras aos comerciantes

O mercado de Tomar continua a funcionar, mas com mais restrições devido à pandemia de Covid-19.

A autarquia de Tomar distribuiu equipamento de proteção aos comerciantes que continuam atender o público.

Há 2h e 12min
15:50
VÍDEO

Covid-19: Donald Trump diz que já vê a "luz ao fundo do túnel"

A pandemia de Covid-19 já matou quase 89 mil pessoas em todo o mundo, desde que a doença surgiu, em dezembro, e mais de 1,5 milhões estão infetados.

O número total de mortes desde o início do surto nos Estados Unidos é agora de 14.695, tornando-se assim no segundo país com maior número de mortes desde que o surto começou

Há 30 min
15:50

França pede colaboração da China no alívio da dívida de países africanos afetados

O executivo francês pediu hoje que a China colabore para uma moratória ou anulação da dívida dos países mais afetados em África pela pandemia da covid-19.

“Os colaboradores bilaterais que não são membros do Clube de Paris representam 37%, entre os quais 11% da China”, da dívida destes países, afirmou o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Baptiste Lemoyne, numa audição realizada hoje perante a Comissão dos Negócios Estrangeiros do Senado, citado pela agência France-Presse.

“Seria, de certa forma, inconveniente para os membros do Clube de Paris tomarem iniciativas sem a adesão dos outros”, acrescentou o responsável, que insistiu numa “ação coordenada a nível internacional”.

Lemoyne referiu que o tema será debatido numa reunião do Conselho de Desenvolvimento do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI) em 15 de abril.

15:49

Hotéis do Porto abertos para profissionais de saúde com almoços de Páscoa 'take away'

A maioria dos hotéis portugueses está encerrada devido à pandemia, mas algumas unidades estão abertas para alojar profissionais de saúde que combatem a covid-19 e, em simultâneo, estão a preparar almoços de Páscoa ‘take away’ para este domingo.

Em declarações à Lusa, fonte da comunicação do Hotel Porto Palácio avançou hoje que as encomendas dos almoços de Páscoa em ‘take away’ “têm de ser levantadas no hotel” e a iniciativa destina-se “apenas a quem está no concelho do Porto”.

Os almoços de Páscoa 'take away' do Porto Palácio, para o próximo domingo, dia 12 de abril, surgem no contexto de a unidade hoteleira estar aberta com 70 quartos disponíveis para profissionais de saúde que estão de serviço no combate à covid-19 nas unidades hospitalares do Porto.

A segunda razão para que o hotel da Sonae Capital, localizado na Boavista, querer chegar à mesa das famílias do Porto explica-se com a “tradição” de preparar almoços em épocas festivas, como o Natal e a Páscoa e, mesmo em tempos de coronavírus, a unidade hoteleira vai cumprir a confeção de refeições especiais para os clientes habituais, explica fonte do gabinete de comunicação, acrescentando que a unidade do grupo localizada na cidade de Lagos (Algarve) também está a proporcionar o 'take away' pascoal.

Na ementa constam alguns dos pratos típicos da celebração junto das famílias do Porto, como o cabrito assado, barriga de leitão assada, bacalhau com crosta de broa de milho e azeitona e garoupa assada com legumes.

As encomendas devem ser feitas até 72 horas e têm de ser levantadas até ao meio-dia de domingo “com toda segurança”.

No hotel Vila Galé Porto, que também está aberto em tempos de coronavírus a acolher médicos, enfermeiros e outros profissioanis de saúde, está a receber encomendas até ao dia de hoje dos menu Páscoa 2020 disponíveis para 'take-away'.

"Devido às medidas de contingência da covid-19, esta oferta dirige-se aos residentes do concelho da respetiva cidade", adiantou fonte do grupo Vila Galé, recordando que o mesmo se passa nas unidades do Galé Ópera, em Lisboa, Coimbra e Évora.

As encomendas de "bacalhau assado com bróculos, cenoura e batatinhas", "cabrito assado com grelos" e a "aletria com canela" devem ser levantadas entre as 10:00 e as 14:00 do dia 12 de abril.

A Páscoa ou Domingo da Ressurreição é uma festividade religiosa e um feriado que celebra a ressurreição de Jesus ocorrida três dias depois da sua crucificação no Calvário, conforme o relato do Novo Testamento, e é a principal celebração do ano litúrgico cristão e uma das mais importantes festas cristãs.

O presidente da Associação Portuguesa de Hotelaria Restauração e Turismo (APHORT) revelou na passada semana que 95% do setor hoteleiro fechou devido à pandemia da covid-19.

15:48

Cancelamento de reunião camarária de Viana do Castelo é “inadmissível

A vereadora da CDU na Câmara de Viana do Castelo classificou de "inadmissível" o cancelamento, pela maioria socialista, da reunião camarária de hoje, por se tratar de um órgão "com particulares responsabilidades" na resposta à pandemia de covid-19.

Em comunicado enviado às redações, Cláudia Marinho explicou que o cancelamento da reunião do executivo agendada hoje foi justificado, pelo presidente da câmara, com "o estado de emergência sanitária e não existência de assuntos urgentes".

A vereadora comunista adiantou ter manifestado a sua posição de "desacordo" a José Maria Costa, referindo que "tal reunião deveria ser realizada, no limite, dando uso a mecanismos que facilitam a comunicação não presencial".

"No período que atravessamos, em que a Câmara Municipal deve ter como prioridade a resposta às consequências económicas e sociais das medidas de prevenção e combate ao surto epidémico da covid-19 no concelho de Viana do Castelo, a CDU considera não ser admissível que se cancele uma reunião de um órgão com particulares responsabilidades nesta área", reforça.

A agência Lusa contactou o presidente da Câmara Municipal, mas José Maria Costa escusou-se a comentar o assunto.

15:48

Fed avança com 2,3 biliões de dólares para apoiar economia

A reserva federal norte-americana (Fed) vai avançar com empréstimos de 2,3 biliões de dólares destinados a empresas e comunidades locais, impactadas pela pandemia covid-19.

Os fundos em causa vão “ajudar famílias e empregadores e capacitarão as autoridades locais e regionais a fornecer assistência” durante o surto, indicou, em comunicado, a Fed.

Os montantes disponibilizados pelo banco central norte-americano vão capacitar as empresas cuja atividade económica foi interrompida pela pandemia, garantindo uma recuperação “o mais vigorosa possível”, apontou o presidente da Fed, Jerome Powell, citado no mesmo documento.

Assim, conforme explicou a Fed, o pacote de medidas prevê empréstimos de 600 mil milhões de dólares (cerca de 552 mil milhões de euros), por quatro anos, a empresas com até 10 mil colaboradores ou com uma faturação até 2,5 mil milhões de dólares (2,3 mil milhões de euros) em 2019.

O programa “fará a diferença para 40 mil médias empresas, que empregam 35 milhões de americanos”, apontou o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 89 mil.

Dos casos de infeção, mais de 312 mil são considerados curados.

15:46

DGO divulga instruções para execução orçamental durante a pandemia

A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulgou uma circular com instruções para a execução orçamental no âmbito da pandemia de covid-19, aprovadas pelo secretário de Estado do Orçamento e hoje publicadas no 'site' da instituição.

A circular "aplica-se a todas as entidades da Administração Central", tendo sido aprovada por João Leão, que tem a tutela do Orçamento, na quarta-feira.

As instruções "visam clarificar e estabelecer procedimentos de índole orçamental ou associados que decorrem da entrada em vigor dos diplomas que vieram estabelecer medidas excecionais e temporárias relacionadas com o combate aos efeitos da covid-19, designadamente, no Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de março".

De acordo com a circular, foram implementadas duas medidas, números 095 e 096, "que devem ser inscritas e onde devem ser imputadas todas as dotações e despesas efetuadas neste âmbito".

A medida 095, intitulada "Contingência covid 2019 - prevenção, contenção, mitigação e tratamento” destina-se às "despesas diretamente decorrentes, no domínio da prevenção, contenção, mitigação e tratamento da infeção epidemiológica".

Já a medida 096, com o nome de "Contingência COVID 2019 – garantir normalidade", orienta-se para "despesas indiretamente decorrentes dos constrangimentos causados pela pandemia e que se relacionem com a reposição da normalidade administrativa do funcionamento das instituições".

"Uma vez que estas medidas não foram previstas no Orçamento do Estado para 2020, deverão as entidades realizar as alterações orçamentais (receita e despesa) que forem necessárias à inscrição das mesmas e à cobertura de despesas relacionadas com a covid-19", pode ler-se na circular da DGO.

As despesas relacionadas com a covid-19, no âmbito do Decreto-Lei 10-A/2020 de 13 de março, visando a "obtenção de decisões num espaço curto de tempo, definindo prazos a partir dos quais ocorre o deferimento tácito ou diferentes competências para autorizar os atos em causa, designadamente, os relativos a pedidos de autorização de despesas plurianuais", devem ser devidamente sinalizadas com a expressão "Contingência COVID-2019".

Para além da expressão, devem conter uma "fundamentação de facto e que explicite concretamente a ação ou medida prática de prevenção, contenção, mitigação e tratamento; ou de reposição da normalidade, para a qual a despesa em causa pretende contribuir", e ainda a "indicação da norma legal que lhe subjaz", no âmbito do Decreto-Lei 10-A/2020.

A DGO indica ainda que "as alterações orçamentais a realizar por gestão flexível devem procurar encontrar contrapartida nas rubricas onde ainda não existam compromissos já conhecidos pelas entidades e aos quais estejam vinculados", e ficam isentas do cativo adicional.

"Qualquer alteração orçamental que vise a realização de despesas neste âmbito, ainda que não careça de decisão do membro do Governo responsável pela área das finanças e independentemente da entidade com competência para a autorizar ser o membro do Governo da área setorial ou o dirigente ou órgão máximo, deve ser de imediato comunicada à DGO, através dos Serviços Online/Comunicação", determina ainda a Direção-Geral do Orçamento.

Relativamente à aprovação de encargos plurianuais, passa a incluir as tipologias D e E, associadas às medidas 095 e 096, respetivamente, e no caso da tipologia D, a entidade coordenadora do programa orçamental está dispensada da emissão de parecer, sendo os processos remetidos pela entidade ao membro do Governo setorial que, após autorização, os remete às Finanças através da DGO.

"Às entidades coordenadoras dos programas, tendo presente o seu dever genérico de colaboração com o Ministério das Finanças, cabe informar a DGO, com a maior tempestividade possível, sobre os processos submetidos para decisão do membro do Governo da área das Finanças", indica ainda a Direção-Geral.

Recomenda-se igualmente que as entidades públicas efetuem os pagamentos devidos a terceiros "no mais curto prazo possível", podendo, para maior celeridade, "as entidades realizar os Pedidos de Libertação de Créditos excecionais que sejam tidos por convenientes, além do Pedido normal que ocorre no início de cada mês".

15:36

Famílias e empresas do 1.º escalão isentas do pagamento de água em Alcobaça

A Câmara de Alcobaça não vai cobrar água e saneamento aos consumidores e empresas do primeiro escalão, divulgou hoje a autarquia, que vai manter estes apoios até ao final de junho.

A isenção total do pagamento da tarifa variável de água e de saneamento abrange famílias e empresas com um consumo até aos cinco metros cúbicos de água, precisa um comunicado da Câmara de Alcobaça, do distrito de Leiria.

A medida insere-se nos apoios sociais aprovados pelo executivo no âmbito da pandemia da covid-19.

No segundo escalão, até 15 metros cúbicos, as famílias e empresas vão beneficiar de uma redução de 50% no pagamento da tarifa variável de água e de saneamento, bem como de uma redução de 50% no pagamento da tarifa variável de resíduos sólidos e urbanos.

A câmara aprovou ainda a manutenção do tarifário social e do tarifário familiar (aplicável a famílias numerosas), “no que seja mais favorável aos respetivos beneficiários”, ou seja, lê-se no comunicado, “aos beneficiários destas tarifas serão aplicadas as medidas descritas, sendo faturados pelo valor mais baixo”.

Ainda no âmbito das medidas de apoio, a autarquia aprovou a isenção total do pagamento de todas as taxas de consumo de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos para todas as Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho.

As instituições de âmbito social, cultural, desportivo e recreativo, e os estabelecimentos comerciais instalados em espaços municipais, “explorados por empresas que se encontrem em situação de crise empresarial”, ficam também isentos do pagamento de rendas.

A câmara determinou ainda não cobrar taxas pela ocupação do espaço público e publicidade aos estabelecimentos comerciais, com exceção para bancos, instituições financeiras, seguradoras e hipermercados.

As medidas vigoram entre 01 de abril e 30 de junho.

15:35

Altice Portugal reforça infraestruturas de comunicação

A Altice Portugal reforçou a resiliência das infraestruturas fixas e móveis junto das instalações temporárias de acolhimento e de tratamento de pessoas para garantir “o bom funcionamento das comunicações e uma maior capacidade de resposta”.

Entre as instalações em causa encontram-se hospitais de campanha, instalações hospitalares e militares, bem como complexos montados em estádios e pavilhões municipais.

Para minimizar o impacto causado pelo novo coronavírus, a Altice Portugal já tinha avançado com um conjunto de medidas, como a atribuição de 10 gigabites de dados móveis e da mensalidade dos canais desportivos a profissionais do Serviço Nacional de Saúde, dedicados ao tratamento de doentes infetados pela covid-19.

Loading

N�o existem mais eventos...