Últimas Covid-19

Todas as notícias sobre a pandemia que já matou mais de dois milhões de pessoas em todo o mundo
22 Fevereiro 2021
22 mai 2020, 15:34

Extrema-direita espanhola manifesta-se no sábado em automóvel contra Governo

O partido espanhol de extrema-direita Vox organiza no sábado manifestações em automóvel nas principais capitais de província do país para protestar contra a forma como o Governo socialista tem gerido a crise da covid-19.

O protesto, em automóvel e com máscara, foi a forma como a extrema-direita conseguiu que as manifestações de 30 minutos de duração fossem aprovadas, cumprindo as exigências de segurança impostas pelo estado de emergência em vigor desde 15 de março último.

A terceira maior força política de Espanha, depois do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) e o Partido Popular (direita), assegura que as manifestações se vão realizar "no estrito cumprimento das medidas de segurança sanitária".

A principal dessas concentrações, que percorrem as principais artérias do centro das províncias espanholas, vai-se realizar em Madrid, com saída às 12:00 (11:00 em Lisboa) da Praça de Cibeles e chegada ao mesmo local depois de percorrer várias ruas e avenidas do bairro de Salamanca.

As manifestações de sábado juntam-se às “caçaroladas” (bater em panelas), diariamente às 21:00 (20:00), em varandas, que se têm estendido por todo o país, a criticar o executivo de esquerda e que têm sido incentivadas pelos partidos de direita.

Um tribunal da Catalunha foi a última entidade que autorizou, hoje, as manifestações nas quatro capitais de província desta comunidade autónoma.



AO MINUTO

20:00
19:27
18:26
18:05
17:52
17:28

Espanha registou 9.212 casos e 389 mortes nas últimas 24 horas

A Espanha registou 9.212 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 3.170.644 o total de infetados até agora no país, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.

As autoridades sanitárias também contabilizaram mais 389 mortes desde terça-feira atribuídas à covid-19, passando o total de óbitos para 68.468.

O número de novos casos subiu de terça-feira para hoje de 7.461 para 9.212, e o de mortes baixou de 443 para 389.

O nível de incidência acumulada (contágios) em Espanha continua a descer, tendo passado de terça-feira para hoje de 236 para 219 casos diagnosticados por 100.000 habitantes nos 14 dias anteriores.

17:27
16:51

"Temos de ter objetivos definidos", diz Rui Rio

Rui Rio, líder do PSD, defende que "uma vez atingidos os indicadores [considerados ideais pelos técnicos] temos de começar a desconfinar" e para tal é preciso aumentar a testagem da covid-19. "Temos que começar a testar para que os valores não voltem a disparar" se não "ficamos sem saber se o número de casos tem baixado ou se está ligado à redução dos testes".

Após a reunião com o Presidente da República, Rio sublinha que só os técnicos é que podem decidir qual será "esse número" de casos diários e de internamentos que deve ser considerado "adequado" para que se pense em desconfinar.

"Temos de ter objetivos definidos. Isso é gestão, não é uma questão política", diz. "Basta perguntar aos técnicos e decidir, chegando àquele número começamos a desconfinar e no dia seguinte começamos a testar."

O líder do PSD considera que, uma vez atingido esse número, é necessário "planear a forma de desconfinar toda a sociedade e em particular em relação às escolas." Estou convencido que será por etapas, primeiros os mais novos e depois os outros - mas terá de haver um plano", defende.

O PSD propõe ainda que "o país deverá ter um planeamento por desconfinamento por regiões, uma vez que há regiões que têm números muito mais baixos do que outras". Se se perceber que o país não está a avançar ao mesmo ritmo, "não podemos continuar a penalizar uma região por causa de outra."

16:31

Reino Unido regista 442 mortos e ultrapassa 18 milhões de vacinados

 O Reino Unido registou 442 mortes atribuídas a covid-19 e 9.938 novos casos da doença nas últimas 24 horas, tendo ultrapassado os 18 milhões de pessoas vacinadas, de acordo com dados publicados hoje pelo Governo britânico.

Na terça-feira tinham sido notificadas 548 mortes e 8.489 casos, mas a média dos últimos sete dias é de 402 mortes e 10.485 infeções.

No total, morreram no Reino Unido 121.747 pessoas entre 4.144.577 casos de contágio confirmados desde o início da pandemia covid-19.

Entre 18 e 24 de fevereiro houve uma redução de 31% de mortes devido a covid-19 e de 14,7% no número de pessoas com um resultado de teste positivo confirmado em relação aos sete dias anteriores.

Na segunda-feira, data dos dados mais recentes disponíveis, estavam hospitalizadas 16.803 pessoas, menos 20% do que há uma semana.

Até agora, 18.242.873 pessoas receberam a primeira dose de uma vacina contra o novo coronavírus, das quais 669.105 receberam a segunda dose, a qual é administrada com um intervalo de até 12 semanas.

16:13
16:03
15:55

As escolas devem reabrir assim que possível, diz o Bloco de Esquerda

Catarina Martins, do Bloco de Esquerda, considera que "é muito importante que assim que possível as escolas possam reabrir".

Depois da reunião com o Presidente da República, a líder do Bloco de Esquerda afirmou aos jornalistas que para reabrir as escolas é preciso "haver condições", ou seja, "haver mais pessoal docente e não docente", haver condições para "desdobrar turmas e manter as distâncias" e também condições para "fazer mais testes" aos alunos.

"Para reabrir a economia é preciso acelerar o processo de vacinação", afirma Catarina Martins, sublinhando a necessidade de vacinar rapidamente todo o pessoal docente e não docente que trabalha com as crianças pequenas, que não usam máscara, e que por isso se encontra mais exposto ao vírus.

15:45
15:44

Vacinação com 3.546 doses arranca em quase todo o distrito de Beja

A vacinação contra a covid-19 arrancou hoje em 11 sedes de concelho do distrito de Beja, estando disponíveis, para já, um total de 3.546 doses de vacinas, revelou a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.

“O processo de vacinação iniciou-se hoje em todas as sedes de concelho” da área de influência da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), “exceto em Alvito, que se inicia na quinta-feira”, e em Aljustrel, onde “já tinha arrancado na semana passada”, disse à agência Lusa Conceição Margalha.

A presidente do conselho de administração da ULSBA – entidade a que não pertence o concelho de Odemira, integrado na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano – avançou que, para já, chegaram 495 frascos de vacinas.

“Para toda a área de abrangência da ULSBA, recebemos 379 frascos da Pfizer-BioNtech e 116 frascos da AstraZeneca, o que totaliza 3.546 doses. O que está programado é que vacinemos estas pessoas esta semana e, depois, vamos aguardar a chegada de novas vacinas, na próxima semana”, indicou.

Conceição Margalha frisou que a informação de que dispõe é a de que as vacinas vão chegar “regularmente para se proceder à vacinação”.

15:35
15:10
15:01
14:28

Concelho de Évora "entra" na nova fase de vacinação com 1.800 doses

A vacina contra a covid-19 começa a ser administrada em Évora, na quinta-feira, a pessoas com 80 e mais anos e acima dos 50 com doenças associadas, abrangendo inicialmente 1.800 dos 9.000 utentes identificados no concelho.

Fonte da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo indicou hoje à agência Lusa que estas 1.800 pessoas vão ser vacinadas até segunda-feira, na Arena d'Évora, espaço do município onde foi instalado o centro de vacinação concelhio.

No concelho de Évora, sublinhou, estão identificadas 9.000 pessoas com 80 e mais anos e acima dos 50 com doenças associadas.

Segundo a mesma fonte, a Arena d'Évora tem quatro postos de vacinação e capacidade para vacinar 600 pessoas por dia.

14:09

Israel é o país do mundo que mais doses de vacinas administrou

Israel é o país onde já foram administradas mais vacinas contra a covid-19, tendo sido dadas 88,77 doses por cada 100 habitantes, num mundo onde a média se fica pelas 2,77 doses por cada 100 pessoas.

Segundo dados recolhidos pelo portal ourworldindata.org até 22 de fevereiro, a doses de vacinas administradas em Israel está agora a abrandar, tendo aumentado quase 14% desde a semana passada, abaixo de quase todas as regiões do mundo.

Em termos de regiões do mundo, a América do Norte continua a ser a mais imunizada, com 11,52 doses administradas por cada 100 habitantes, o que significa um crescimento de 23% face à semana passada.

Em termos relativos, o maior crescimento aconteceu no continente africano (61,5%), mas esta região continua a ser, em termos absolutos e em conjunto com a Oceânia, aquela onde foram administradas menos doses de vacinas: menos de uma por cada 100 habitantes (0,21).

Na União Europeia, onde tem havido muitas queixas devido aos atrasos nas entregas das farmacêuticas de vacinas aprovadas pela Agência Europeia do Medicamento, a média ronda as 6,25 doses por cada 100 habitantes.

Este valor representa um crescimento de 24,5% do número de doses de vacinas administradas, mas fica aquem dos valores registados na Europa alargada (que inclui o Reino Unido).

O velho continente administrou, até segunda-feira, 7,01 doses de vacinas por centena de pessoas, aumentando 19% face à semana anterior.

No resto do mundo, a administração de vacinas continua muito baixa, com a América do Sul a ficar-se nas 2,56 doses por cada 100 habitantes, a Ásia nas 1,71 doses por centena de pessoas e a Oceânia a contabilizar apenas 0,01 dose por 100 habitantes.

Na análise da situação na União Europeia, Portugal situa-se no 12.º entre os que mais doses administraram, registando 6,81 doses administradas por cada centena de cidadãos, ou seja, mais 28,7% do que na semana passada.

Entre os 27 Estados comunitários, Malta é quem se posiciona na liderança da administração de vacinas, com 15,02 por cada 100 habitantes, seguida da Dinamarca (8,82) e da Islândia (8,19). O último lugar do grupo é preenchido pela Bulgária, que administrou, até dia 22, 2,13 doses de vacinas por centena de pessoas.

14:03
VÍDEO

Covid-19: AstraZeneca envia menos de metade das vacinas previstas para a União Europeia

Os planos de vacinação na europa terão de ser repensados. Isto porque até agosto, a AstraZeneca vai enviar menos de metade das vacinas para a União Europeia.

Em vez de 300 milhões de doses, o consórcio anglo-sueco vai disponibilizar apenas 130 milhões de vacinas.

Hoje às 13:58
Loading

N�o existem mais eventos...