Últimas Covid-19

Todas as notícias sobre o novo coronavírus que está a preocupar as autoridades a nível mundial.
14 Outubro 2020
8 abr, 18:18

Hidrofer lança produção industrial de zaragatoas para testes clínicos

A empresa Hidrofer, em colaboração com o Centro Académico Clínico Algarve Biomedical Centre (ABC) e o Instituto Superior Técnico (IST), avançou esta quarta-feira com a produção industrial de zaragatoas para testes clínicos para a Covid-19, anunciou o Governo.

A Hidrofer estima uma produção diária de mais de 50 mil unidades, uma produção que "vai suprimir as atuais necessidades, sendo o consumo diário atualmente de cerca de 12 mil unidades em todo o país", lê-se num comunicado divulgado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Segundo a entidade tutelada por Manuel Heitor, isto significa que Portugal passa "da importação à exportação de zaragatoas através da colaboração entre a ciência e a indústria".

As zaragatoas são instrumentos essenciais para a colheita de material biológico destinado à realização dos testes para a despistagem de Covid-19, e o excesso de procura no mercado mundial tem tornado complexa a aquisição das mesmas, assinalou o ministério.

"A ABC começou por consultar a listagem de materiais que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), devem ser utilizados nas zaragatoas virais para detetar a Covid-19, e, em articulação com a ‘startup' Mark 6 Prototyping, definiu os materiais indicados para as produzir", informou o executivo.

E acrescentou: "Após os testes de validação, foram estabelecidas com a Hidrofer as linhas estratégicas para a produção massificada".

A Hidrofer dirigiu a sua produção para as zaragatoas de Dacron, a matéria-prima mais adequada para detetar a Covid-19, e o IST vai realizar a sua esterilização, enquanto o ABC vai produzir e disponibilizar o líquido de transporte necessário para colocar a zaragatoa após a sua colheita.

"A formação desta parceria contou com o apoio fundamental da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), através da administradora executiva Elsa Henriques, contando também com a colaboração do presidente do conselho diretivo do ABC, Nuno Marques, e do médico Nuno Morão, do ABC, bem como do administrador da Hidrofer Hélder Silva e do presidente do IST, Rogério Colaço, através dos Laboratórios de Loures", assinalou o Governo.

Os ministros da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (Ana Mendes Godinho), e o secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, visitaram esta quarta-feira, dia do lançamento da nova produção, as instalações da Hidrofer, em Famalicão.



AO MINUTO

07:09

China regista 19 novos casos importados

Pequim, 20 out 2020 (Lusa) - A Comissão de Saúde da China informou hoje que o país diagnosticou 19 casos de covid-19, nas últimas 24 horas, todos oriundos do exterior.

Os 19 casos 'importados' registados nas últimas 24 horas foram diagnosticados em Xangai, Tianjin, Cantão, Sichuan, Jiangsu, Fujian, Chongqing e Pequim.

O surto detetado em 11 de outubro, na cidade portuária de Qingdao, não contribuiu com nenhum novo caso de contágio local pelo quinto dia consecutivo.

07:02

Colômbia com mais 132 mortos, total de óbitos quase nos 30 mil

A Colômbia anunciou na segunda-feira a morte de mais 132 pessoas por covid-19, elevando o total de óbitos para 29.102.

O Ministério da Saúde informou ainda que nas últimas 24 horas foram diagnosticados 6.311 infeções com o novo coronavírus.

O país tem agora um total de 965.883 casos positivos, dos quais 66.650 permanecem ativos, ou seja, 6,9%, sendo que 867.961 pacientes foram dados como recuperados.

07:02

Mais 171 mortos e 3.699 infetados no México

O México registou 171 mortos e 3.699 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 86.338 e de casos para 854.926.

As autoridades de saúde informaram na segunda-feira que houve um aumento de 0,43% de contágios e de 0,20% de mortes em comparação com o dia anterior.

A covid-19 já é a quarta causa de morte no México, atrás apenas de doenças cardíacas, diabetes e tumores malignos, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística e Geografia.

07:01

Argentina é o quinto país no mundo a ultrapassar um milhão de casos

A Argentina ultrapassou um milhão de casos confirmados do novo coronavírus na segunda-feira, tornando-se o segundo país da América Latina e o quinto no mundo a atingir esta marca.

O Ministério da Saúde informou que 1.002.662 pessoas já foram infetadas com o novo coronavírus e que 26.716 morreram.

A América Latina é uma das regiões mais atingidas e abriga metade das dez nações que identificaram o maior número de casos confirmados.

07:01

EUA registam 420 mortos e mais de 60 mil casos nas últimas 24 horas

Os Estados Unidos registaram 420 mortos e 60.506 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com a contagem independente da Universidade Johns Hopkins.

Com este balanço, o país atingiu os 220.086 óbitos e 8.208.093 casos confirmados desde o início da pandemia.

Nova Iorque é o estado com maior número de mortes (33.366).

O Instituto de Métricas e Avaliações de Saúde da Universidade de Washington estimou que até ao final do ano os Estados Unidos terão ultrapassado as 315 mil mortes, com o número a subir para os 390 mil a 01 de fevereiro de 2021.

00:12

Restrições de viagens na Europa com impacto no turismo em África

As restrições de viagem de países europeus relacionadas com a pandemia de covid-19 poderão fazer o continente africano perder 17,4 milhões de empregos e 102 mil milhões de euros até ao final do ano, segundo um relatório do Instituto Tony Blair. 

O relatório estima o impacto económico de restrições impostas aos viajantes internacionais, nomeadamente a quarentena obrigatória de 14 dias na chegada de países considerados de risco, nos setores do turismo e transporte aéreo africanos até ao final deste ano. 

De acordo com o estudo, 51% dos turistas em África chegam da Europa, mas a necessidade de cumprir quarentena no regresso está a reduzir o turismo. 

Os autores, Rajkumar Mayank Singh e Jonathan Said, estimam que na, melhor das hipóteses, os países africanos vão perder 7,6 milhões de empregos e 53 mil milhões de dólares (45 mil milhões de euros), mas o pior cenário admite a perda de 17,4 milhões de empregos e 120 mil milhões de dólares (102 mil milhões de euros). 

“Dada a dependência da África das viagens intercontinentais, especialmente para o turismo, essas restrições correm o risco de prejudicar a capacidade de o continente recuperar dos efeitos económicos da pandemia”, vinca Said, responsável de estudos sobre Crescimento Inclusivo do Instituto para a Transformação Global, fundado pelo antigo primeiro-ministro britânico.

O relatório urge que governos de países africanos, da UE e do Reino Unido trabalhem “o mais rápido possível” num quadro de regras e medidas que envolvam distanciamento social, teste e rastreamento de contactos em aeroportos e voos para permitir que o fluxo de viagens seja retomado. 

Tal como apoio financeiro dado aos países africanos, através de subvenções ou suspensão das dívidas, "reiniciar totalmente as viagens aéreas com nações africanas pode ser igualmente importante”, vincou Said.

23:34

Mais 271 mortos e 15.383 infetados no Brasil em 24 horas

O Brasil somou 271 mortos e 15.383 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 154.176 óbitos e 5.250.727 casos desde o início da pandemia, informou hoje o Ministério da Saúde.

No último boletim epidemiológico, a tutela da Saúde indicou que 4.681.659 pessoas diagnosticadas com a covid-19 já recuperaram da doença, enquanto que 414.892 estão sob acompanhamento médico.

A taxa de letalidade da doença mantém-se em 2,9% no Brasil e a taxa de incidência é agora de 73,4 mortes e 2.498,6 casos por cada 100 mil habitantes.

Geograficamente, São Paulo, foco da pandemia no país, é o estado com maior número de casos de infeção (1.064.039), sendo seguido pela Bahia (336.232), Minas Gerais (336.648) e Rio de Janeiro (291.413).

Já os estados com mais mortes são São Paulo (38.035), Rio de Janeiro (19.770), Ceará (9.211) e Pernambuco (8.490).

O Instituto Butantan, órgão ligado ao governo estadual de São Paulo, indicou hoje que os testes da vacina coronavac no Brasil, conduzidos em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, mostram que o imunizante é o mais seguro entre todos os que estão na fase final de testagem, por apresentar o menor índice de efeitos colaterais.

"Fizemos a comparação com o que está disponível na literatura científica das vacinas que estão sob testagem. A vacina do Butantan é a mais segura. Todas tiveram efeitos colaterais grau três, que são os mais importantes. A vacina do Butantan não teve. Febre é outro indicativo importante, e na nossa foi de apenas 0,1%. Em febre acima de 38 graus, foi zero. É a vacina mais segura neste momento, não só no Brasil, mas no mundo", disse hoje o diretor do instituto, Dimas Covas.

Em causa estão os nove mil voluntários brasileiros já vacinados no país com a coronavac, que apresentaram apenas efeitos colaterais leves, como dor no local da aplicação do imunizante e dor de cabeça, segundo os investigadores.

A incidência de eventos adversos entre os voluntários do Butantan foi de 35% face aos cerca de 70% nas outras vacinas testadas, segundo o instituto.

Em conferência de imprensa, o governador de São Paulo, João Doria, corroborou o Butantan e afirmou hoje que a Coronavac demonstrou ser segura em testes realizados no Brasil.

O estudo da Coronavac em território brasileiro foi iniciado em julho e prevê a participação total de 13 mil voluntários, todos profissionais da saúde que atuam no atendimento a pacientes com covid-19.

A partir de outubro, a testagem do imunizante contra a covid-19 será alargada a voluntários idosos, portadores de comorbilidades e gestantes.

Questionado sobre a inclusão da Coronavac no calendário de vacinação do Brasil, formulado pelo Ministério da Saúde, Doria afirmou que as conversações entre o Instituto Butantan, o governo regional de São Paulo e o Governo central estão a acontecer "de forma muito positiva".

"Esperamos que esta vacina seja incorporada e que possa estar disponível nos programas de imunização o mais rápido possível”, afirmou.

23:06

Oito elementos da Câmara da Trofa em isolamento profilático preventivo

Quatro membros do executivo da Câmara da Trofa, distrito do Porto, e quatro colaboradores diretos do presidente estão em isolamento profilático preventivo, depois de terem estado em contacto com um colaborador da autarquia que testou positivo ao novo coronavírus.

À Lusa, o gabinete de comunicação da Câmara Municipal da Trofa confirmou que o presidente da autarquia, Sérgio Humberto, três vereadores e quatro colaboradores diretos do presidente permanecem em isolamento profilático preventivo.

Num comunicado divulgado hoje, a autarquia explica que o delegado de saúde da Trofa reavaliou o confinamento e decidiu “estarem reunidas as condições” para o vice-presidente, António Azevedo, regressar ao trabalho presencial na terça-feira.

“O presidente da Câmara Municipal e os restantes três vereadores vão manter-se em isolamento profilático preventivo e vão realizar os testes à covid-19 nos próximos dias”, esclarece.

Segundo a autarquia, a situação continuará a ser acompanhada pelo delegado de saúde que, “a cada momento”, tomará as medidas necessárias e adequadas.

Na mesma nota, a Câmara da Trofa apela ainda para que todos os cidadãos “continuem a proteger-se”, bem como à comunidade.

21:17

Madeira regista 14 novos casos e um total de 106 infeções ativas

A Madeira registou hoje 14 casos de covid-19, todos importados, nove recuperados e 17 situações suspeitas, indicou o Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE), referindo que o total de infeções ativas no arquipélago é de 106.

A autoridade regional de saúde esclarece, por outro lado, que os testes aos 12 contactos próximos de um aluno de uma escola do Funchal, que testou positivo no domingo, foram negativos.

"Mantém-se a determinação de confinamento de todos contactos identificados", realça o IASAÚDE, referindo-se a um conjunto de 31 alunos da escola básica dos 1.º, 2.º e 3.º ciclos com pré-escolar Bartolomeu Perestrelo.

20:47
20:09
VÍDEO

Covid-19: Marta Temido admite agravamento da pandemia

A ministra da Saúde admitiu um agravamento da situação pandémica já nos próximos dias. As declarações de Marta Temido foram feitas depois da reunião com o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa quer ouvir todo o setor da saúde e da economia antes de tomar medidas consideradas mais restritivas.

Ontem às 20:09
20:03
VÍDEO

Covid-19: SNS continua com capacidade de resposta à pandemia

A semana começou com uma subida de 864 casos, que fez Portugal atingir pela primeira vez mais de dois mil casos diários.

O pico foi atingido a meio da semana, com 2.608 novos contágios.

Depois disso, o número tem vindo a descer gradualmente, mas manteve-se sempre acima dos dois mil casos, à exceção desta segunda-feira.

Ontem às 20:03
20:00

França com 13.243 novos casos e 146 mortes nas últimas 24 horas

França anunciou hoje ter registado 13.243 novos casos de covid-19 e 146 mortes associadas à doença nas últimas 24 horas, elevando para 910.277 o total de infetados e para 33.623 o de óbitos desde o início da pandemia.

Segundo a Agência de Saúde Pública (ASP) francesa, o número diário de mortes apenas tem em conta as que se registaram nos hospitais, uma vez que os óbitos por covid-19 em lares de idosos e em centros de apoio só são atualizados às terças e às quintas-feiras.

A ASP adianta que o índice de casos positivos relacionados com os testes de diagnóstico realizados registou novo aumento, subindo de 13,2% no domingo para 13,4% hoje.

A subir continuam também os números de hospitalizações, que aumentou para 7.978, face aos 7.530 de domingo, e o de pacientes que foram internados nas unidades de cuidados intensivos, que passou de 1.343 para 1.441.

Os dados da ASP precisaram que há em França 1.775 focos de contágio identificados, 70 deles detetados nas últimas 24 horas e 366 localizados em lares de idosos e em centros de apoio sanitário.

Dos 101 departamentos administrativos em França, 88 estão em situação de vulnerabilidade elevada devido a rápida circulação do novo coronavírus, mais dois do que na véspera.

19:50
19:10

PS e PSD consensualizam regras para eleitores confinados votarem em 2021

PS e PSD acordaram um texto comum sobre as regras especiais para os eleitores em confinamento devido à pandemia de covid-19 poderem votar, com o diploma a aplicar-se a todas as eleições e referendos que se realizem em 2021.

Nos projetos aprovados na generalidade, PS e PSD divergiam sobretudo no alcance temporal da medida: enquanto os socialistas pretendiam que o diploma se aplicasse exclusivamente à eleição do Presidente da República e aos doentes confinados devido à epidemia de covid-19, os sociais-democratas defenderam um regime intemporal e aplicável a qualquer situação de grave risco para a saúde pública.

O texto comum, a que a Lusa teve acesso e que será debatido e votado na especialidade na terça-feira na Comissão de Assuntos Constitucionais, estabelece “um regime excecional e temporário de exercício de direito de voto antecipado aos eleitores a quem foi decretado confinamento obrigatório, no âmbito da epidemia SARS-CoV-2 e da doença Covid-19, no respetivo domicílio ou noutro local definido pelas autoridades de saúde que não em estabelecimento hospitalar, nas eleições e atos referendários a realizar no ano de 2021”, ano em que, além de presidenciais em janeiro, também estão previstas autárquicas para depois do verão.

19:03
18:58
18:38

Associação Académica de Lisboa repudia falta de condições para alunos infetados

A Associação Académica de Lisboa exigiu esta segunda-feira respostas do Ministério do Ensino Superior e da Universidade de Lisboa para as situações de estudantes infetados com covid-19 que vivem em residências universitárias, repudiando a alegada falta de condições.

A organização enviou uma “nota de repúdio ao Serviço de Ação Social da Universidade de Lisboa, fruto das situações que vieram a público, nos últimos dias”, lê-se num comunicado enviado às redações.

Alguns estudantes que vivem em residências universitárias deram positivo à covid-19 e foi-lhes dito que seriam transferidos para pousadas da juventude, com a devida segurança, o que não foi cumprido”, afirmam os estudantes.

A posição da associação surgiu depois de os estudantes divulgarem várias fotografias que demonstram “desrespeito pelo distanciamento social e pela dignidade humana, da parte dos Serviços de Ação Social Escolar”.

Para a Associação Académica, está em causa “uma completa irresponsabilidade” da instituição”.

O órgão representativo dos estudantes pediu, desta forma, justificações, mas também soluções para que o problema não se repita ao longo da crise pandémica provocada pelo novo coronavírus.

18:20
18:11
Loading

N�o existem mais eventos...