Últimas Covid-19

Todas as notícias sobre o novo coronavírus que está a preocupar as autoridades a nível mundial.
02 Dezembro 2020
24 mar, 20:28

Politécnico do Porto faz viseiras para hospitais e apela à doação de acetato

O Instituto Politécnico do Porto (IPP) e a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Felgueiras estão a produzir viseiras 3D para os hospitais devido à Covid-19, mas precisam "urgentemente" de película transparente, apelando à sua doação.

A iniciativa solidária, que envolve também o Porto Design Factory (PDF) do IPP, tem por objetivo equipar os profissionais de saúde dos hospitais com equipamentos que, neste momento, "escasseiam e fazem muita falta pela sua necessidade de proteção", disse esta terça-feira à Lusa a presidente da Escola Superior de Educação (ESE) do IPP, Prudência Coimbra, na coordenação desta.

O projeto, que começou no domingo, envolve 12 professores que, diariamente, em casa e com a ajuda de uma impressora 3D, produzem as viseiras.

As pessoas trabalham em rede e em conjunto, mas à distância, ou seja, cada professor faz as viseiras em casa e, no final do dia, há um funcionário que passa pelas suas habitações e as recolhe, sem nunca contactarem", explicou.

Prudência Coimbra referiu que hoje, por exemplo, conseguiram fazer 100 viseiras, mas para continuarem com a produção precisam "urgentemente" de película transparente (A4, A3 ou maior) com espessura de 0,4 ou 0,5 milímetros.

Apelando à doação por parte das empresas que tenham essa possibilidade, a coordenadora contou que tem recebido alguns apoios, nomeadamente de uma empresa que faz o corte a laser e perfura os acetatos e de uma outra que deu elásticos.

O objetivo é fazer o maior número de viseiras possíveis porque têm recebido "muitos pedidos" de hospitais "aflitos" de toda a região Norte, contou.

Antes de arrancarem com a produção, o protótipo da viseira foi testado por um responsável do Hospital de Santo António, no Porto, que a validou, revelou.

O projeto é pequeno, não somos nenhuma empresa, mas o que queremos é dar o nosso contributo, mobilizar esforços e a solidariedade da comunidade e, juntos, fazermos uma pequena diferença", afirmou Prudência Coimbra.

Na sua opinião, se o grupo conseguir proteger a cara de mil médicos vai ficar satisfeito, mas ficará muito mais se puder proteger a cara de 5.000.

Falando num equipamento "importante", a presidente da Escola Superior de Educação lembrou que, a partir do círculo inicial que têm, estão a criar outros, nomeadamente através da disponibilidade de pessoas que, vendo os apelos no Facebook, oferecem a sua ajuda.

A ESE está a sentir-se "útil", referiu, acrescentando que essa também é a missão do ensino superior que é dar retorno social com as suas competências.



AO MINUTO

13:03
12:56

Ministra da Saúde e secretários de Estado da Saúde testaram negativo

A ministra da Saúde, Marta Temido, o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, e o Secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, testaram negativo para a infeção por SARS-CoV-2, foi esta quarta-feira anunciado.

“Os governantes do Ministério da Saúde realizaram teste de rastreio à Covid-19 ontem [terça-feira] à noite, dia 1, na sequência de identificação de contacto com a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, e não foram considerados contactos de alto risco pelas autoridades de saúde”, adianta o Ministério da Saúde em comunicado.

Também alguns funcionários do Ministério, bem como respetivos familiares foram submetidos a testes e aguardam igualmente os resultados. 

A DGS confirmou, esta quarta-feira de manhã, que Graça Freitas está infetada com covid-19 e, até ao momento, manifesta apenas sintomas ligeiros.

De acordo com o comunicado da Direção-Geral da Saúde (DGS), "Graça Freitas, testou ontem positivo para a infeção por SARS-CoV-2, estando neste momento em isolamento".

O mesmo documento esclarece ainda que está a ser levado a cabo, pela Autoridade de Saúde Regional, o rastreio de contactos, de modo a identificar todas as pessoas potencialmente expostas.

Neste sentido, a conferência de imprensa prevista para esta quarta-feira foi cancelada. 

12:50
12:44

Aprovada audição parlamentar do coordenador do plano de vacinação

A Comissão de Saúde aprovou hoje, por unanimidade, a audição urgente de Francisco Ramos, que vai liderar a equipa responsável por apresentar um plano de vacinação contra a covid-19, anunciou hoje o CDS-PP, que apresentou um requerimento nesse sentido.

O CDS-PP requereu na sexta-feira a audição parlamentar, com caráter de urgência, do responsável pela 'task force' que vai delinear o plano de vacinação contra a covid-19 em Portugal, o ex-secretário de Estado da Saúde, Francisco Ramos.

“Em Portugal ainda não se conhece qualquer plano de vacinação [contra a covid-19] e só agora foi criada uma 'task force' que deverá estruturar todo este processo”, criticou então a bancada parlamentar democrata-cristã, em requerimento endereçado à presidente da Comissão de Saúde.

O CDS considerou que a 'task force' “tem uma missão crítica e fundamental” e que esta é uma “operação que, para além de extremamente complexa, é uma verdadeira corrida contra o tempo”.

Contudo, as informações são “escassas, avulsas e contraditórias”, advogou o partido liderado por Francisco Rodrigues dos Santos.

O CDS manifestou-se apreensivo e considerou que as informações prestadas pelo Governo, liderado pelo socialista António Costa, são contraditórias.

A 'task force' criada pelo Governo para coordenar todo o plano de vacinação contra a covid-19, desde a estratégia de vacinação à operação logística de armazenamento, distribuição e administração das vacinas, tem um mês para definir todo o processo.

12:32
12:27

Pandemia já matou pelo menos 1.482.240 pessoas no mundo

O novo coronavírus já matou pelo menos 1.482.240 pessoas no mundo desde que a OMS relatou o início da doença em dezembro, segundo um levantamento realizado hoje pela agência de notícias AFP às 11:00, a partir de fontes oficiais.

Mais de 63.865.770 casos de infeção pelo SARS-CoV-2 foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia, dos quais pelo menos 40.695.700 pessoas já foram consideradas curadas.

Esse número de casos diagnosticados, no entanto, reflete apenas uma fração do número real de infeções.

Alguns países testam apenas os casos graves, outros priorizam o teste para rastreamento e muitos países pobres têm capacidade limitada de teste.

Na terça-feira, 13.186 novas mortes e 625.301 novos casos foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de novas mortes em seus relatórios mais recentes são os Estados Unidos com 2.562 novas mortes, México (825) e Itália (785).

Os Estados Unidos são o país mais afetado em termos de mortes e casos, com 270.691 mortes para 13.726.306 casos, segundo um levantamento da Universidade Johns Hopkins. Pelo menos 5.226.581 pessoas foram declaradas curadas naquele país.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 173.817 mortes e 6.386.787 casos, a Índia com 138.122 mortes (9.499.413 casos), o México com 106.765 mortes (1.122.362 casos) e o Reino Unido com 59.051 mortos (1.643.086 casos).

Entre os países mais atingidos, a Bélgica é o que tem o maior número de mortes em relação à sua população, com 145 mortes por 100.000 habitantes, seguida pelo Peru (109), Espanha (97) e o Itália (93).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 86.551 casos (nove novos entre terça-feira e hoje), incluindo 4.634 mortes e 81.649 recuperações.

A América Latina e o Caribe tiveram hoje um total de 450.015 mortes para 13.103.601 casos às 11:00, a Europa 420.752 óbitos (18.594.535 casos), os Estados Unidos e Canadá 282.856 mortes (14.107.330 casos), a Ásia 195.866 óbitos (12.466.001 casos), o Médio Oriente 79.501 mortes (3.376.186 casos), a África 52.308 óbitos (2.187.775 casos) e a Oceania 942 mortes (30.349 casos).

Esta avaliação foi realizada com base em dados recolhidos pelos escritórios da AFP junto das autoridades nacionais competentes e informações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

12:15

Sobe para 10 o número de mortos no Centro Social do Pego em Abrantes

Dez mortos é o novo balanço do surto de covid-19 no Centro Social do Pego, concelho de Abrantes, disse hoje a delegada de Saúde, dando ainda conta de um total de 16 utentes e sete profissionais infetados.

"Os dados atualizados do surto no lar do Pego indicam que temos, infelizmente, 10 óbitos a lamentar e 16 utentes ainda positivos, dos quais quatro estão hospitalizados e 12 estão em ERPI [estrutura residencial para pessoas idosas]”, disse à Lusa a delegada de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo.

A responsável notou uma "evolução positiva" no surto, que foi detetado em 29 de outubro, afetando inicialmente 35 pessoas, entre utentes e funcionários.

Maria dos Anjos Esperança disse que os resultados dos testes mais recentes efetuados a utentes e funcionários daquela ERPI do distrito de Santarém indicam que "apenas sete profissionais estão ainda positivos, tendo 23 apresentado teste negativo" ao novo coronavírus.

"O surto está estabilizado e sem casos novos nos últimos dias”, afirmou, destacando a recuperação da doença de vários utentes com mais de 90 anos.

Com 65 utentes e 71 funcionários, a ERPI registou um total de pelo menos 87 pessoas infetadas, dos quais resultaram 10 óbitos entre utentes.

Maria dos Anjos Esperança disse que os óbitos se reportam a pessoas com idade avançada, com outras patologias respiratórias e cardíacas.

Os primeiros três óbitos foram confirmados em 11 de novembro, tendo aumentado para cinco mortes dois dias depois, altura em que estavam 15 utentes hospitalizados.

Em 14 de novembro, numa nota de pesar às famílias afetadas, publicada na página oficial na rede social Facebook, o presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, confirmou a existência de sete mortes relacionadas com a covid-19 na ERPI do Pego. No dia 17 de novembro, a delegada de Saúde confirmou o oitavo óbito na instituição, número que aumentou agora para 10.

Segundo os dados divulgados na terça-feira pelo Agrupamento de Centros de Saúde do Médio Tejo, o concelho de Abrantes tem 465 casos de covid-19 desde o início da pandemia e 173 pessoas recuperadas da doença, estando o município integrado na listagem de risco muito elevado.

11:46

Serviço de apoio a empresas e investidores no Porto com 94 pedidos numa semana

O serviço "Revitaliza Porto.", que apoia a comunidade de negócios da cidade na resposta à pandemia, recebeu, na primeira semana, 94 pedidos de empresas e investidores, designadamente do setor do turismo, hotelaria, restauração e comércio, foi hoje revelado.

"Vocacionado para o apoio especializado às micro, pequenas e médias empresas do Município do Porto como resposta à crise pandémica, o serviço "Revitaliza Porto." entrou em funcionamento no dia 20 de novembro e uma semana depois tinha recebido 94 pedidos - 90 feitos por empresas e quatro por parte de investidores", lê-se numa nota publicada na página oficial da Câmara do Porto.

De acordo com os dados hoje revelados, 97,8% dos pedidos feitos por empresas estão relacionados com a covid-19, sendo que o perfil dos agentes económicos que solicitaram apoio mostra que estão em causa, sobretudo, empresas com uma existência relativamente recente: mais de um terço (32 empresas) tem menos de cinco anos de atividade.

Houve ainda 29 solicitações apresentadas por empresas cujo início de atividade ocorreu entre 2011 e 2015.

De acordo com a autarquia, a esmagadora maioria dos pedidos de apoio foi feito por microempresas (82) e os pedidos provêm sobretudo de entidades afetas a dois setores de atividade: Turismo, Hotelaria e Restauração (43) e Comércio (41).

No que diz respeito aos investidores, três dos quatro pedidos de apoio apresentados relacionam-se com investimentos inferiores a 250.000 euros, sendo que apenas um está ligado a um investimento entre um e 10 milhões de euros.

Dos quatro pedidos, houve dois feitos por investidores com origem em Portugal, um com origem no Brasil, e outro com origem em Israel.

Ainda segundo os dados da InvestPorto, 84,8% dos pedidos rececionados tiveram uma resposta em menos de 48 horas.

Para aceder ao serviço gratuito do "Revitaliza Porto." basta submeter um pedido de apoio respondendo às perguntas de diagnóstico disponíveis em InvestPorto ou telefonar para o número 220 100 220 da Linha Porto., e selecionar a opção 4.

Lançado no dia 20 de novembro pelo município, através da InvestPorto, o serviço visa apoiar a comunidade de negócios da cidade na resposta à nova fase da crise pandémica, através do esclarecimento de dúvidas e a obtenção de conselhos e informações sobre as últimas medidas de apoio mais importantes para cada negócio.

11:35

Sindicato defende uniformização de procedimentos nas escolas

O Sindicato de Todos os Professores (STOP) defendeu hoje que o Ministério da Educação deveria uniformizar os procedimentos a cumprir nas escolas em relação à pandemia, considerando que parece haver escolas de primeira e outras de segunda.

"Tem que haver uma uniformização dos procedimentos relativamente à pandemia, igual ou semelhante em todo o país", afirmou o coordenador nacional do STOP, André Pestana, que falava à agência Lusa à margem de uma concentração junto à Escola Básica 2.º e 3.º ciclos Inês de Castro, em Coimbra.

O STOP convocou uma greve de docentes e não docentes para esta semana, que termina na sexta-feira, sendo que a Escola Inês de Castro fechou hoje devido à greve.

As razões da greve prendem-se com as condições de trabalho e com a forma como está a ser tratada a pandemia nos estabelecimentos de ensino.

André Pestana notou que as medidas de controlo da pandemia variam de estabelecimento para estabelecimento, havendo escolas com separadores acrílicos entre alunos, outras que medem a temperatura à entrada, mas "a maioria não tem este tipo de procedimentos".

Quando surgem infeções, há casos de escolas que encerram por completo, mas outras em que apenas os alunos infetados vão para casa, mantendo-se o ensino presencial sem realização de testes para os colegas e professores, "que continuam a dar aulas àquela turma como a outras", salientou o dirigente sindical.

"Tem de haver um protocolo minimamente uniforme, se não parece que há escolas de primeira e outras de segunda", vincou.

Segundo André Pestana, são necessários também mais assistentes operacionais e com melhores condições de trabalho e de remuneração, assim como mais professores.

"Há assistentes operacionais que trabalham há 30 anos e recebem o mesmo que outros que entraram agora. Isso é uma total desconsideração para com estes profissionais, que estão exaustos e desmotivados", vincou, salientando a importância do papel destes trabalhadores numa situação de pandemia, ao assegurarem a limpeza e higienização dos estabelecimentos.

Para o coordenador do STOP, o Governo "tem de definir as suas prioridades".

"O Governo é muito célere a arranjar milhares de milhões para tapar buracos da banca, mas para a saúde e para a educação, que serve a esmagadora maioria da população, parece que há sempre desculpas para não investir", criticou.

André Pestana recordou ainda que "há cerca de 30 mil alunos que estão desde setembro sem professor a uma ou mais disciplinas", considerando que é necessário contratar mais professores, mas também tornar a carreira docente mais atrativa.

Apesar de as escolas terem estado encerradas nos primeiros dois dias da semana, a greve convocada pelo STOP manteve-se, decorrendo até sexta-feira.

Questionado sobre a adesão à greve, André Pestana referiu que, sendo um sindicato recente, não tem indicação de quantas escolas fecharam hoje, mas acredita que outros estabelecimentos vão encerrar, à imagem do que aconteceu na Escola Inês de Castro, em Coimbra.

11:05
11:01

Mortes de surto em lar do concelho de Mora aumentam para cinco

O número de mortes associadas à covid-19 do surto num lar do concelho de Mora, no distrito de Évora, subiu para cinco, mais quatro do que no anterior balanço, disse hoje o presidente da câmara municipal.

Em declarações à agência Lusa, o autarca de Mora, Luís Simão, indicou que a mais recente morte do surto de covid-19 no lar do Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Purificação, em Cabeção, ocorreu na terça-feira em Évora.

As cinco vítimas mortais deste surto são utentes do lar "na casa dos 70 e dos 80 anos", indicou, referindo que os óbitos ocorreram na residência universitária de Évora onde estão instalados os idosos infetados e no hospital da cidade.

Segundo o presidente do município, a primeira morte deste surto, ocorrida no dia 25 de novembro na residência universitária, foi a de uma utente "na casa dos 80 anos".

Luís Simão adiantou que na residência de Évora continuam 18 utentes do lar com covid-19 e que uma das duas funcionárias infetadas já recuperou da doença provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2.

Já o elemento da direção do lar também infetado que esteve internado na unidade de cuidados intensivos do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) encontra-se ainda na unidade hospitalar, mas em enfermaria, acrescentou.

O primeiro caso na instituição foi o de uma utente que foi transportada no dia 05 de novembro para o HESE, onde teve um teste positivo.

O lar do Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Purificação, em Cabeção, tem 40 utentes e 23 funcionários.

10:22
10:11

Utentes do lar de Vilar de Maçada em Alijó estão recuperados

Vinte e quatro utentes recuperaram da infeção pelo novo coronavírus no Centro Social, Recreativo e Cultural de Vilar de Maçada, no concelho de Alijó, disse hoje à agência Lusa fonte da instituição.

Igor Nóbrega, elemento daquela Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), afirmou que o surto “está resolvido” naquele lar, onde o primeiro caso entre os utentes da estrutura residencial para idosos (ERPI) foi detetado no dia 10 de novembro.

Na instituição do concelho de Alijó, distrito de Vila Real, foram contabilizados 25 utentes positivos, num total de 60 idosos que ali residem, e nove funcionários, entre os 60 que trabalham naquela IPSS.

Um dos utentes positivo ao novo coronavírus e que sofria de outras patologias faleceu.

Igor Nóbrega referiu ainda que dois trabalhadores da IPSS já regressaram ao serviço e explicou que, entre os restantes, há quem ainda esteja de baixa e outros de férias.

Para além do edifício da ERPI, a instituição possui ainda 10 casas individuais espalhadas pela propriedade e, segundo o responsável, os idosos que fizeram testes positivos foram os que residem naquelas moradias.

Os funcionários estão a trabalhar em espelho, a IPSS suspendeu as visitas à ERPI, fechou o centro de dia e mantém o serviço de apoio domiciliário.

A Câmara de Alijó acionou em 21 de outubro o Plano Municipal de Emergência e reativou o gabinete de crise, depois de ter sido detetado um surto no lar de idosos da Associação Cultural e Social de Sanfins do Douro, que depois se alastrou à comunidade.

O concelho contabilizava na terça-feira 39 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus, 323 desde o início da pandemia, e integra o grupo de municípios com risco muito elevado de transmissão do vírus e que estão sujeitos a medidas mais restritivas.

Na segunda-feira, o distrito de Vila Real tinha cerca de 1.700 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus.

09:56

África com mais 316 mortes e mais 13.366 casos de infeção

A África registou 316 mortes devido à covid-19 e mais 13.366 novos casos de infeção nas últimas 24 horas, contabilizando agora 52.231 óbitos causados pelo novo coronavírus, segundo dados oficiais.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o continente africano conta agora com 2.184.209 casos de pessoas infetadas nos 55 membros da União Africana.

O número de recuperados nas últimas 24 horas foi de 12.688, para um total de 1.853.263.

O maior número de casos de infeção e de mortos regista-se na África Austral, com 890.129 casos e 23.292 vítimas mortais.

Nesta região, a África do Sul, o país mais afetado do continente, contabiliza 792.299 casos de infeção e 21.644 mortes.

Com 749.223 pessoas infetadas e 19.646 vítimas mortais, o Norte de África é a segunda zona mais afetada pela pandemia.

A África Oriental contabiliza 272.721 casos e 5.216 mortos, na África Ocidental, o número de infeções é de 206.344, com 2.879 mortos, enquanto a África Central regista 65.792 casos e 1.198 óbitos.

O Egito, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 6.666 mortos e 116.303 infetados, seguindo-se Marrocos, que contabiliza 5.915 vítimas mortais e 359.844 casos de infeção.

Entre os seis países mais afetados estão também a Tunísia, que regista 96.769 infetados e 3.260 mortos, a Argélia, com 84.152 infeções e 2.430 mortos, a Etiópia, com 110.554 casos e 1.709 vítimas mortais, e a Nigéria, com 67.838 infetados e 1.176 óbitos.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Angola regista 348 óbitos e 15.139 casos, seguindo-se Moçambique (131 mortos e 15.770 casos), Cabo Verde (106 mortos e 10.816 casos), Guiné Equatorial (85 mortos e 5.156 casos), Guiné-Bissau (44 mortos e 2.441 casos) e São Tomé e Príncipe (17 mortos e 991 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

09:54
09:40
09:35

Vacinas devem chegar a Macau no primeiro semestre de 2021

A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura de Macau afirmou hoje que 1,4 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 devem chegar ao território no primeiro semestre de 2021.

Além destas, o Governo adquiriu vacinas de emergência, que devem chegar a Macau, "em princípio, até final do ano" para o “pessoal da linha da frente", como médicos, enfermeiros e bombeiros, por estarem expostos a maiores riscos, afirmou Elsie Ao Ieong, na resposta a vários deputados, durante o debate setorial das Linhas de Ação Governativa (LAG) para 2021, na Assembleia Legislativa (AL).

A responsável disse que as restantes 1,4 milhões de doses, para a população em geral, devem chegar ao território "em princípio, no primeiro semestre" de 2021, sendo administradas de acordo com um calendário a divulgar posteriormente.

"Teremos um planeamento que visa, primeiro, ajudar as pessoas que precisem sair de Macau" para trabalhar ou estudar, disse a governante, que destacou na intervenção inicial o "desenvolvimento, de forma eficaz, dos trabalhos para a normalização da prevenção e controlo da epidemia.

"A covid-19 representa uma série ameaça à segurança da saúde pública a nível mundial, sendo que a atual situação continua a ser difícil e complexa", afirmou Elsie Ao Ieong.

Na apresentação das LAG para 2021, o chefe do executivo de Macau afirmou que a recuperação da economia, turismo e do emprego na capital mundial do jogo só será possível com a vacina da covid-19 e só se todos os residentes a tomarem.

"Se todos tomarem a vacina podemos ver a nossa saída, ou seja, vai haver recuperação económica", sublinhou Ho Iat Seng.

Com a vacina aprovada e reconhecida pelo Estado chinês será possível “tirar as máscaras e permitir que todos os turistas de todo o mundo se desloquem a Macau”, acrescentou.

Macau foi dos primeiros territórios a ser atingido pela crise económica devido à pandemia, com o primeiro caso a ser registado em 22 de janeiro, e a partir daí adotou várias medidas sanitárias para controlar a propagação do vírus, como o encerramento dos casinos por 15 dias, um plano de distribuição de máscaras e um forte controlo fronteiriço.

As medidas sanitárias mostraram-se eficazes, já que Macau apenas registou 46 casos da doença e desde 26 de junho não é detetado qualquer caso, mas praticamente paralisaram a economia, quase exclusivamente dependente da indústria dos casinos e do turismo chinês.

09:05
07:33
07:11
Loading

N�o existem mais eventos...