Últimas Covid-19

Todas as notícias sobre a pandemia que já matou mais de dois milhões de pessoas em todo o mundo
22 Fevereiro 2021
6 abr 2020, 14:17

Portal ‘online’ divulga negócios de entregas ao domicílio

Um portal ‘online’ português de divulgação de negócios de entregas ao domicílio, através da área de residência, pretende ajudar as pessoas que se encontram em quarenta, durante a pandemia da covid-19, revelou hoje à agência Lusa a responsável.

De acordo com Patrícia Rodrigues, a ideia surgiu após analisar “demasiados pedidos, nas redes sociais, de pessoas que não queriam sair de casa e saber quais os serviços que estavam abertos e que poderiam entregar em casa”.

O projeto “Na minha Comunidade” surgiu há cerca de uma semana e já conta com 55 negócios disponíveis no site, desde alimentação, animais, bebidas, ensino, entretenimento, limpeza, mobiliário, ourivesaria, saúde, serviços, tarot e vestuário.

“Neste momento, estão cerca de 55 negócios disponíveis no ‘site’ e estamos com uma lista de 20 para colocar hoje”, disse a mentora do projeto, revelando que, em poucos dias, o portal já teve “600 visitas”.

Para a também 'designer' gráfica, a plataforma é a forma de ajudar os negócios que se tiveram de reinventar, por causa do novo coronavírus, e começaram a fazer 'take-away’ ou entregas em casa.

“Achei que seria muito produtivo ter um portal que pudesse divulgar o maior número possível de comerciantes que estão em funcionamento, porque a economia não pode parar”, realçou Patrícia Rodrigues.

Com cada vez mais inscrições de comerciantes, o portal está dependente de fundos próprios e tem procurado outros meios de subsistência.

“Está a ser criado com fundos próprios e tudo o que está criado, até agora, foi desenvolvido apenas por mim”, destacou a responsável, acrescentando que procura “algum tipo de apoio ou patrocínio para que possa crescer mais”.



AO MINUTO

18:04

Resolvido surto em lar residência da Cerciestremoz

O surto de covid-19 no lar residência da Cerciestremoz, em Estremoz (Évora), que infetou 17 pessoas, entre utentes e funcionárias, foi considerado resolvido, disse hoje à agência Lusa o presidente da direção, Joaquim Cardoso.

Segundo o responsável, o novo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, infetou 13 dos 14 utentes que estão na residência (só um teve resultado negativo) e quatro funcionárias.

"Há apenas uma utente e uma funcionária que fizeram testes com resultados inconclusivos e não houve nenhuma situação grave", adiantou o presidente da Cerciestremoz - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados.

Joaquim Cardoso explicou que os utentes foram transferidos do lar residência para a sede da instituição, na Quinta de Santo Antão, também em Estremoz, onde foi montado um "hospital de campanha", para se fazer "uma desinfeção nas instalações" habituais dos residentes.

"Os utentes regressam durante a tarde de hoje ao lar residência", realçou.

A Cerciestremoz contou com o apoio de uma brigada de intervenção rápida enviada pela Segurança Social.

Os primeiros casos na instituição foram detetados no dia 03 de fevereiro, quando foram testadas as funcionárias e quatro delas tiveram resultado positivo para o SARS-CoV-2.

No seguimento, foram testados os utentes da residência, acrescentou.

17:56

Grécia regista o maior número de infeções diárias desde novembro

A Grécia registou hoje um forte aumento dos casos de covid-19 com 2.353 novos contágios, o maior número de infeções desde 22 de novembro e atribuído sobretudo pelos especialistas à propagação da variante britânica.

Os dados publicados hoje pela Organização Nacional de Saúde Pública indicam que o número total de casos na Grécia desde o início da pandemia há um ano ascende a 194.582, com 6.577 mortos, incluindo 23 óbitos das últimas 24 horas.

O maior número de contágios regista-se desde há várias semanas na Ática, onde se situa a capital Atenas, apesar de nesta região permanecer em vigor um confinamento mais estrito face ao cenário nacional, com um encerramento total do comércio e as escolas e um recolher obrigatório mais duro nos fins de semana em comparação com o restante território.

No decurso de uma vista que hoje efetuou a um hospital de Atenas, o primeiro-ministro, Kyriakos Mitsotakis, atribuiu o forte aumento das infeções à virulência das novas estirpes que se estão a propagar com rapidez, apesar das medidas restritivas.

“As coisas estariam muito pior” caso não fosse decretado há várias semanas o encerramento total da atividade comercial na região da Ática, susteve Mitsotakis, que se deparou com uma situação asfixiante nos hospitais da capital, onde a ocupação das unidades de cuidados intensivos ronda os 100%.

O primeiro-ministro sublinhou que até ser assegurado “um muro de imunidade através da campanha de vacinação” não será possível reduzir o atual conjunto de medidas restritivas.

De acordo com o líder conservador, a população não tem demonstrado renitência face à vacinação, e a campanha prossegue de forma satisfatória.

17:48

200 médicos fora do SNS começaram hoje a ser vacinados no Algarve

Cerca de 200 médicos que exercem a sua atividade fora do Serviço Nacional de Saúde (SNS) começaram hoje a ser vacinados no Algarve, num processo de deve demorar dois dias.

A ação acontece em “simultâneo em Faro e Portimão”, como resultado de um “pedido e em colaboração” com a Ordem dos Médicos (OM) - responsável por “elaborar as listas” - e o Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA), revelou hoje a presidente da administração.

“Hoje faremos aos médicos que têm mais de 65 anos e amanhã [quarta-feira] aos restantes, por serem vacinas diferentes, hoje com vacinas da Pfizer e amanhã da AstraZeneca”, afirmou Ana Castro.

São “cerca de 200” entre Faro e Portimão e que exercem a sua atividade fora do SNS e “por isso estão a ser vacinados dentro deste projeto” já que “os do SNS já foram vacinados dentro das prioridades que tinham”, realçou a responsável, que falava aos jornalistas, no Hospital de Faro, à margem da ação de vacinação.

Para o bastonário da OM, Miguel Guimarães, presente na ação, este “é um passo importante”, que teve início “este fim de semana no Porto”, realçando que é necessário ter “todas as pessoas preparadas” para “defender todos os doentes”.

“De cada vez que estamos a vacinar um médico, estamos a proteger muitos doentes, todos os que o médico vai contactar no dia-a-dia”, realçou.

O bastonário disse ainda que a Ordem manifestou a preocupação pela não vacinação dos profissionais que contactam como os doentes “fora do SNS”, num desafio que foi “aceite pelo novo coordenador da ’task force’”, o qual pediu à ordem para elaborar as listas dos médicos a vacinar.

17:31
17:25
VÍDEO

Rui Rio: “Há uma preocupação em aplicar o grosso dos fundos [europeus] na Administração Pública”

O PSD considera que o programa de recuperação e resiliência do Governo está desequilibrado.

Rui Rio evidencia que existe um desequilíbrio demasiado significativo entre a aplicação de fundos no setor público e privado.

Há 47 min
17:25
VÍDEO

Groundforce: “Uma empresa que está dinheiro e um conflito entre Governo e privados”

Pedro Santos Guerreiro, Filipe Santos Costa e Anabela Neves analisaram a atual situação financeira da Groundforce, na TVI24, no programa “Os Qu4tro”.

Pedro Santos Guerreiro considera que da incapacidade para pagar os salários de fevereiro aos trabalhadores se podem retirar duas conclusões: há mais uma empresa em Portugal sem dinheiro e um novo conflito entre o Governo e o setor privado.

Há 53 min
17:09
17:01
16:59
16:56
16:20

Número de óbitos em lar privado de Estremoz sobe para cinco

O número de mortes no surto de covid-19 num lar privado em Estremoz (Évora) subiu para cinco, todos utentes da instituição, disse hoje à agência Lusa a gerente da unidade, Sónia Linhol.

A responsável lembrou que a primeira morte registada no Solar do Poço Coberto foi a de uma idosa, como revelou à Lusa, a 18 de fevereiro.

Desde essa altura, revelou hoje, ocorreram mais quatro óbitos de utentes, todos eles com outras patologias associadas: um homem morreu no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) e outro homem e duas mulheres morreram no lar.

Este surto de covid-19, que "está quase resolvido", segundo a responsável, regista um total de 39 infetados, ou seja, 28 dos 32 utentes do lar tiveram resultados positivos para o novo coronavírus SARS-Cov-2 - incluindo os idosos que morreram -, assim como 11 dos cerca de 30 funcionários.

Segundo a gerente da unidade, dos idosos, apenas três estão ainda infetados pelo SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, sendo que dois "estão assintomáticos" e um tem "sintomas ligeiros", havendo ainda oito utentes que fizeram novos testes com "resultados inconclusivos".

"As 11 funcionárias infetadas já fizeram novos testes, seis delas com resultados negativos e cinco com resultados inconclusivos", adiantou Sónia Linhol.

Segundo a gerente do Poço Coberto, os utentes que fizeram testes com "resultados positivos" estão naquela casa de repouso, separados dos "negativos".

15:43
15:32

Dificuldades financeiras foram o principal desafio das IPSS

As dificuldades financeiras foram o principal desafio das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) no combate à pandemia, concluiu um estudo da Universidade Católica do Porto. 

O estudo “Impacto da pandemia de COVID-19 nas IPSS e seus utentes em Portugal”, elaborado pela Área Transversal de Economia Social (ATES), em colaboração com a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS), reuniu oito investigadores com o objetivo de perceber a atuação das IPSS no combate à pandemia e o impacto nas necessidades dos utentes.

A investigação baseou-se nas respostas de um inquérito 'online' de âmbito nacional feito entre junho e julho de 2020, ao qual responderam responsáveis de coordenação de 329 IPSS e instituições equiparadas dos vários distritos de Portugal Continental.

Concluiu-se que as IPSS tiveram três desafios principais para responder às necessidades dos utentes em tempo de pandemia: dificuldades financeiras (62,6%), falta de recursos humanos e/ou com competências suficientes (35,3%) e a implementação dos planos de contingência e manutenção da capacidade de resposta (33,1%).

15:13

Farmacêutica Merck vai ajudar a produzir vacina da Johnson & Johnson

A farmacêutica Merck vai ajudar a produzir a vacina contra a covid-19 da empresa rival Johnson & Johnson, avançou hoje um funcionário do Governo dos EUA.

A Casa Branca deve fazer o anúncio oficial desta decisão ainda hoje, quando as autoridades sanitárias norte-americanas tentam acelerar a produção de doses desta vacina de dose única, recentemente aprovada pela agência de regulação dos medicamentos nos Estados Unidos (CDC).

As autoridades sanitárias norte-americanas dizem que a Johnson & Johnson enfrentou problemas inesperados na produção da sua vacina, tendo sido capaz de disponibilizar até agora apenas 3,9 milhões de doses.

A empresa diz que está preparada para entregar mais 100 milhões de doses até ao final de junho.

Com a ajuda da gigante farmacêutica Merck, a Johnson & Johnson deve conseguir cumprir os seus compromissos de produção e expandir ainda mais o fornecimento das vacinas.

14:55

Hospitais de Coimbra e Leiria reduzem camas em enfermaria

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e o Centro Hospitalar de Leiria (CHL) reduziram o número de camas em enfermaria covid-19, refere hoje um relatório da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC).

O CHUC reduziu 27 camas e o CHL 50, adianta o boletim enviado à agência Lusa.

Segundo a ARSC, às 23:59 de segunda-feira, os hospitais da região Centro contabilizavam 307 internados em enfermaria e 88 em unidades de cuidados intensivos, que representava uma taxa de ocupação de 54% e 57%, respetivamente.

Relativamente ao último ponto de situação, realizado na quarta-feira passada, registam-se menos 227 internados em enfermaria e menos 17 em unidades de cuidados intensivos.

De acordo com aquele organismo de gestão descentralizada do Ministério da Saúde, na segunda-feira os hospitais do Centro emitiram 59 altas médicas e registaram seis vítimas mortais e 23 novas admissões.

14:47
VÍDEO

Covid-19: GNR procura idosos que ainda não foram vacinados

Na Golegã, a GNR está a fazer um trabalho de campo para garantir que ninguém fique esquecido no processo de vacinação. 

Há 3h e 48min
14:45
VÍDEO

O primeiro caso de covid-19 foi detetado no Porto

O primeiro caso de covid-19 em Portugal foi diagnosticado no Hospital de Santo António, no Porto. Um ano depois, a aprendizagem e a experiência que o vírus trouxe são marcantes. Numa altura em que o desconfinamento parece perto, fica um alerta: todo o cuidado é pouco com as novas variantes que podem representar um perigo maior e desconhecido.

Há 3h e 26min
14:45
VÍDEO

2 de março de 2020, o dia em que a pandemia atingiu Portugal

No dia em que se assinala um ano dos primeiros casos de covid-19 em Portugal, o Presidente da República deixou um elogio ao SNS, dizendo que o Serviço Nacional de Saúde se organizou de forma meritória, mas alertou que é preciso tirar ilações sobre o que correu menos bem. Também a ministra da Saúde, Marta Temido, diz que todos devemos um agradecimento aos profissionais de saúde.

Há 3h e 31min
14:45
VÍDEO

Alentejo entra em março sem mortes devido à covid-19

Desde o início da pandemia, o Alentejo já registou 947 mortes por covid-19, a maioria de idosos que viviam nos lares da região.

Hoje às 13:53
14:45
VÍDEO

OMS avisa: "Número de casos de covid-19 aumentou, pela primeira vez, em sete semanas"

Organização Mundial da Saúde avisa que é irrealista pensar que a pandemia vai acabar até ao fim do ano. O alívio das restrições e a circulação das novas variantes, como a brasileira, duas vezes mais transmissível, estão na origem do aumento de casos à escala global, o que não acontecia há mais de um mês e meio.

Hoje às 13:32
Loading

N�o existem mais eventos...