Últimas Covid-19

Todas as notícias sobre a pandemia que já matou mais de dois milhões de pessoas em todo o mundo
04 Janeiro 2021
28 abr 2020, 11:06

Projeto "AcolheUmaRefeição" reúne mais de 180 pessoas que querem doar comida

Mais de 180 empresas e pessoas que querem doar comida a quem mais precisa já aderiram à plataforma “Acolhe uma Refeição” que arrancou na segunda-feira e que pretende auxiliar os mais afetados na sequência da pandemia de Covid-19.

A ideia para avançar com o AcolheUmaRefeição surgiu depois de termos ouvido a presidente do Banco Alimentar, Isabel Jonet, dizer que em 27 anos nunca tinha visto nada assim, referindo-se ao aumento de pedidos de ajuda alimentar”, disse Ricardo Paiagua, da uppOut que gere a plataforma

Isabel Jonet revelou na segunda-feira que desde o início da pandemia de covid-19 já chegaram mais de 11.600 pedidos de ajuda de agregados familiares, através da Rede de Emergência Alimentar criada pela Entreajuda, da qual o Banco Alimentar faz parte.

Este número representa 55 mil pessoas, estima Isabel Jonet, e são todos novos casos de pobreza, provocados sobretudo pelo desemprego das pessoas que tinham trabalhos precários, e de profissionais liberais, que apenas recebiam quando trabalhavam.

V�DEO

“Banco Alimentar recebeu 11.500 pedidos de ajuda. Estimamos que sejam 55 mil pessoas”

A pandemia obrigou a economia a fechar e muitas pessoas entraram inesperadamente no desemprego ou em processo de lay-off. A zona de Lisboa e Setúbal têm sido das mais afetadas, de acordo com Isabel Jonet, do Banco Alimentar.
 



AO MINUTO

23:55

Brasil com mais 1.202 mortes e 62.334 casos em 24 horas

O Brasil registou mais 1.202 mortes e 62.334 infeções confirmadas por covid-19, nas últimas 24 horas, segundo os números divulgados hoje pelo Governo brasileiro no boletim epidemiológico.

Hoje é o quinto dia consecutivo em que o país sul-americano soma mais de mil vítimas mortais diárias, no momento em que o país atravessa uma segunda vaga da pandemia.

Até agora, desde o início da pandemia, já morreram, em consequência da doença, 216.445 pessoas.

Em relação às infeções, com os mais recentes números o país ultrapassou os 8,8 milhões de diagnósticos positivos (8.816.254) desde o início da pandemia.

No Brasil, país lusófono mais afetado pelo novo coronavírus e um dos mais atingidos do mundo, a taxa de letalidade da doença permanece em 2,5%.

Já a taxa de incidência está fixada em 103 mortes e 4.195 casos por cada 100 mil habitantes.

Geograficamente, o foco da pandemia está em São Paulo, estado mais rico e populoso do país, que sozinho concentra 1.694.355 infetados e 51.423 óbitos.

23:00
22:17

França regista cerca de 24.000 novos casos num dia

As autoridades de saúde francesas contabilizaram hoje 23.924 novos casos de coronavírus num dia, número que se mantém estável e elevado durante a última semana.

Nas últimas 24 horas morreram 230 pessoas devido à covid-19 em França, elevando a 72.877 o total de mortes desde o início da pandemia, em março de 2020.

Nos hospitais, 25.900 camas estão ocupadas por doentes com problemas derivados do vírus, com 1.169 novas admissões num dia.

Do total, 2.869 doentes estão nos cuidados intensivos (menos 16 do que na sexta-feira).

A pressão sobre as unidades hospitalares e a circulação do vírus mantêm-se em níveis altos no país, onde foram registados mais de três milhões de casos positivos de covid-19 desde março.

22:16

Centro precisa de "soluções de emergência" para cuidados intensivos

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) exigiu hoje “soluções de emergência” para responder às necessidades de cuidados intensivos naquela zona do país, alegando que os planos de contingência “já estão ultrapassados”.

“A abertura de camas, de enfermarias, de cuidados intermédios e de cuidados intensivos não pode estar alheada da afetação adequada de recursos humanos médicos e de enfermagem. Todos os planos de contingência definidos já estão ultrapassados”, alertou o SRCOM em comunicado.

Segundo o presidente do SRCOM, perante a “realidade complexa da pandemia” da covid-19 na região Centro, que obriga a “medidas de exceção para a monitorização de doentes críticos”, a Administração Regional de Saúde e o Ministério da Saúde têm de implementar “soluções de emergência”.

“Neste momento tão exigente e difícil, não se pode continuar a criar camas sem o devido aumento de profissionais de saúde. É estar a criar a ilusão de uma capacidade que não existe, já que doentes em camas sem profissionais de saúde a tratar desses doentes, não é uma solução”, salientou Carlos Cortes.

De acordo com a SRCOM, a atual situação “só está a contribuir para o cansaço, a exaustão e o `burnout´ dos profissionais” de saúde, sendo necessário um “reforço urgente de recursos humanos”.

“É hora de olhar para todas as possibilidades. A Administração Regional de Saúde do Centro tem de assumir todas as hipóteses para salvar doentes críticos”, salientou Carlos Cortes.

22:15

Ilha do Corvo resistiu durante mais de 10 meses ao novo coronavírus

O coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, foi reportado pela primeira vez nos Açores no dia 15 de março de 2020, mas só passados 10 meses atingiu a ilha do Corvo, a mais pequena do arquipélago.

O único concelho da ilha do Corvo (com o mesmo nome), o mais pequeno e menos populoso do país, com cerca de 460 habitantes, registou hoje o primeiro caso de infeção pelo novo coronavírus.

Segundo o comunicado da Autoridade de Saúde Regional dos Açores trata-se de um residente na ilha, que foi testado no rastreio realizado ao sexto dia aos passageiros que chegam de fora do arquipélago ou da ilha de São Miguel, que está classificada como zona de “alto risco” de transmissão.

22:15

Madeira regista 125 novos casos e mais uma morte

A Madeira regista hoje 125 novos casos de covid-19, totalizando 1.913 situações ativas, e há a reportar mais uma vítima mortal, pelo que os óbitos no arquipélago ascendem agora a 32, informou a Direção Regional de Saúde.

“Hoje há 125 novos casos positivos a reportar, pelo que a Região Autónoma da Madeira passa a contabilizar 4.310 casos confirmados de covid-19 no território regional” desde o início da pandemia, pode ler-se no boletim epidemiológico diário divulgado pela autoridade regional de saúde.

Destes novos casos, seis são importados (quatro provenientes da Região de Lisboa e Vale do Tejo, um da região Centro e um de São Tomé e Príncipe), existindo 119 de transmissão local.

Dos casos ativos (1.913), 113 são importados e 1.800 de transmissão local.

Destes infetados, 84 estão internados no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal - 80 em unidades polivalentes e quatro nos cuidados intensivos (em 31 de dezembro, o número de internados no hospital era de 44).

Outros 44 doentes estão a cumprir isolamento numa unidade hoteleira e os restantes em alojamento próprio.

A região contabiliza 32 óbitos associados à covid-19, tendo a mais recente morte ocorrido hoje no Hospital Dr. Nélio Mendonça. Trata-se de um homem com 86 anos que “estava internado na Unidade Polivalente desde o dia 21 de janeiro e tinha comorbilidades associadas”.

22:14
18:29

Lar de Palaçoulo, em Miranda do Douro, regista a quinta morte

O Lar de Palaçoulo, tutelado pela Misericórdia de Miranda do Douro registou hoje a morte de mais dois utentes elevando assim para cinco o número de óbitos naquela instituição, disse à Lusa o provedor da Instituição.

"Temos hoje a lamentar o quinto óbito no Lar de Palaçoulo. Trata-se um homem, com 92 anos. Também hoje há o registo da morte de uma a mulher de 98 anos", indicou o recém-empossado provedor da Santa Casa da Misericórdia de Miranda do Douro, no distrito de Bragança, Manuel Rodrigo.

Na sexta-feira foi registado o terceiro óbito, tratando-se de uma outra mulher com 85 anos. No final da passada semana houve o registo das duas primeiras mortes, uma mulher de 75 anos e um homem com mais de 80, ambos com outras patologias associadas.

Atualmente há 23 utentes que padecessem de covid-19 e que contam com a ajuda de brigadas da Segurança Social, dada a escassez de funcionários.

18:28
18:19
18:17

Autoridade de Saúde pede confinamento a toda a população do Corvo

A Autoridade de Saúde Regional dos Açores apelou hoje à população do Corvo para se manter em confinamento, até terminar a testagem dos contactos próximos do primeiro caso de infeção por SARS-CoV-2 registado na ilha.

“Tendo em conta as especificidades próprias da mais pequena ilha da Região Autónoma dos Açores, nomeadamente os limitados recursos materiais e humanos de saúde, a Autoridade de Saúde Regional recomenda o confinamento de toda a população da ilha do Corvo até terminar a testagem de despiste rápido já iniciada e a que, posteriormente, será realizada por RT-PCR a todos os contactos próximos de alto risco já identificados”, avançou, em comunicado de imprensa.

A ilha do Corvo, a mais pequena dos Açores e também o concelho menos populoso e mais pequeno do país, era a única do arquipélago que ainda não tinha registado qualquer caso de infeção pelo novo coronavírus, que provoca a doença covid-19.

O comunicado da Autoridade de Saúde Regional dos Açores de hoje reporta um caso no Corvo, referente a um residente na ilha que foi testado no rastreio realizado ao sexto dia aos passageiros que chegam de fora do arquipélago ou da ilha de São Miguel, que está em situação de “alto risco” de transmissão.

Para além do confinamento, a Autoridade de Saúde Regional pede à população para contactar a Linha Saúde Açores (808246024) “perante sintomatologia sugestiva de infeção pelo novo coronavírus”, como “febre, tosse, dor de garganta, cansaço, dores musculares, falta de ar ou dificuldade respiratória, congestão e corrimento nasal, perda de olfato, perda de paladar e diarreia”.

18:17

327 casos ativos na esfera dos Serviços Prisionais e de Reinserção

Os casos positivos de infeção com o novo coronavírus entre trabalhadores, reclusos e jovens internados em Centros Educativos são hoje 327, indicou a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), que abrange cerca de 20 mil pessoas.

Em comunicado, a DGRSP informou hoje que estão ativos 198 casos de infeção com o vírus da covid-19 entre reclusos, cinco entre jovens internados em centros educativos e 124 entre trabalhadores.

Paralelamente, regista 536 casos clinicamente recuperados entre reclusos, quatro entre jovens e 336 entre trabalhadores.

“A DGRSP, em articulação com a saúde pública, continuará a desenvolver o trabalho de prevenção e de acompanhamento clínico que permita a resolução favorável dos casos registados”, descreveu a direção-geral.

No mesmo comunicado, esta entidade deu nota da operação de testagem hoje no Estabelecimento Prisional de Caxias (distrito de Lisboa) e que revelou 84 casos positivos entre reclusos e 20 entre trabalhadores, num total superior a uma centena de infetados pelo novo coronavírus.

Segundo a DGRSP, no Estabelecimento Prisional de Izeda, no distrito de Bragança, prevê-se “para breve” a resolução do surto verificado na primeira semana de janeiro, o qual se traduziu em 68 reclusos infetados pelo novo coronavírus.

18:02
17:24

Hospitais do Centro continuam a aumentar número de camas

Os hospitais da região Centro voltaram a aumentar a vagas para doentes da covid-19, totalizando agora 1.325 camas de enfermarias e 138 de cuidados intensivos, informou hoje à agência Lusa fonte da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC).

De acordo com os dados daquele organismo, na sexta-feira, foram abertas mais 58 camas de enfermaria e duas em Unidade de Cuidados Intensivos (UCI).

Deste modo, os hospitais da região Centro contam com 1.325 camas ativas de enfermaria covid e 138 de UCI, com uma taxa de ocupação de 94% e 87%, respetivamente.

A informação também especifica que, na sexta-feira, foram hospitalizados 176 doentes, havendo um total de 1.370 internados, o que representa um aumento de 48 doentes, face a quinta-feira.

Destes, 1.250 estão internados em enfermaria (+49) e 120 em UCI (-1), sendo que 89 doentes estão ventilados (-2).

17:08
13:27

Subiram para quatro os mortos na Lar de Palaçoulo em Miranda do Douro

O lar de Palaçoulo, tutelado pela Misericórdia de Miranda do Douro, no distrito de Bragança, registou a quarta morte associada à covid-19, tratando-se de uma mulher com 98 anos, disse à Lusa hoje o provedor da Instituição.

"Temos hoje a lamentar o quarto óbito no Lar de Palaçoulo. Trata-se de uma mulher de 98 anos que tinha outras patologias associadas. Já na sexta-feira foi registado o terceiro óbito, tratando-se de uma outra mulher com 85 anos. Ambas tinham outras doenças associadas especificou o recém-empossado provedor da Santa Casa da Misericórdia de Miranda do Douro, Manuel Rodrigo.

No final da passada semana houve o registo das duas primeiras mortes, uma mulher de 75 anos e um homem com mais de 80, ambos com outras patologias associadas.

12:21

Rússia planeia vacinar 20 milhões de pessoas até final de março

A Rússia planeia vacinar cerca de 20 milhões de pessoas contra a covid-19 durante o primeiro trimestre deste ano, adiantou hoje a vice-primeira-ministra russa, Tatiana Golikova.

"Estimamos que, se tudo correr bem, iremos envolver neste processo cerca de 20 milhões de cidadãos", acrescentou a governante.

Segundo Golikova, o Governo russo criou esta semana o plano preliminar de vacinação para o primeiro trimestre de 2021, "de acordo com o qual serão enviadas, para organizações médicas, cerca de 17 milhões de doses".

11:58

África regista mais 968 mortes e 26.103 novos casos nas últimas 24 horas

A África registou nas últimas 24 horas mais 968 mortes por covid-19 para um total de 83.859 óbitos, e 26.103 novos casos de infeção, segundo os últimos dados oficiais da pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de infetados é de 3.391.198 e o de recuperados nos 55 Estados-membros da organização nas últimas 24 horas foi de 67.425, para um total de 2.851.926 desde o início da pandemia.

A África Austral continua como a região mais afetada, com 1.607.182 infetados e 43.822 mortos. Só a África do Sul, o país mais atingido pela covid-19 no continente, regista 1.392.568 casos e 40.076 mortes.

11:37
10:25

Hospital de Gaia/Espinho abre enfermaria com 33 camas

O Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E) abriu hoje uma enfermaria com 33 camas para doentes covid-19, sendo este o terceiro espaço aberto em uma semana num total de 75 novas camas, indicou fonte hospitalar.

O espaço aberto hoje, e que já acolhe dois doentes, localiza-se na enfermaria de pneumologia.

Esta é a terceira enfermaria aberta no espaço de uma semana, uma vez que no passado sábado, dia em que o CHVNG/E ultrapassou os 1.000 doentes tratados com diagnóstico covid-19, este centro hospitalar abriu um espaço com 24 camas e na terça-feira abriu um segundo com 18.

Loading

N�o existem mais eventos...