A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) desafiou esta quarta-feira o FC Porto a apresentar «às instâncias competentes» dados que comprovem as acusações de corrupção envolvendo o Benfica.

«Se existe alguma veracidade nas graves acusações que fazem, devem, para bem do futebol, apresentar esses dados às instâncias competentes, Polícia Judiciária e Ministério Público (MP). Se é apenas mais uma diversão, então condene-se e penalize-se estes comportamentos de uma vez por todas», pode ler-se, em comunicado.

Esta reação dos árbitros surge na sequência das acusações lançadas por Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, no Porto Canal. O dirigente acusou o Benfica de corrupção, revelando uma alegada troca de emails entre Pedro Guerra, comentador da Benfica TV, e Adão Mendes, ex-árbitro, na época 2013/14.

«As declarações feitas são graves e não devem deixar de ser analisadas e investigadas desde a sua veracidade à intencionalidade, para bem da transparência do futebol. A APAF, tal como em casos anteriores, quer o prestigio da classe e do futebol e, para tal, irá tomar as ações e diligências necessárias para apuramento da verdade e não poderá deixar uma vez mais cair por terra mais este episódio detrator do nosso futebol», acrescentam.

De resto, a APAF adianta que irá «apresentar queixa» das declarações, «afim de provarem a sua veracidade».

Recorde-se que o MP confirmou ter recebido uma denúncia anónima em que o Benfica é acusado de corrupção, tendo a mesma sido encaminhada para o DIAP de Lisboa com vista a instauração de inquérito. Entretanto, o Benfica anunciou que vai avançar «com um processo crime por difamação e outros processos que se justifiquem».