*por Rui Almeida Santos

O treinador do Arouca, Armando Evangelista, em conferência de imprensa após o empate frente ao V. Guimarães (2-2), em jogo da sexta jornada da Liga:

«Se não levasse nada daqui ia sentir-me frustrado por aquilo que foi o jogo no seu todo. Até nas estatísticas, algumas delas mostram equilíbrio, mas vemos a personalidade da equipa, por exemplo, na posse de bola. É o querer, mas não de qualquer forma. Querer chegar lá com critério, bem. Depois, a crença. Não é qualquer equipa que perdendo 2-0, em casa, a 15 minutos do fim, tem aquela força e serenidade para conseguir igualar o resultado. Isso traduz a alma desta equipa. Já no último jogo foi demonstrado isso, pela capacidade de ir atrás do resultado. Este é o caminho. Hoje, mais uma vez, demos passos importantes naquilo que é pretendido, mas também há questões a melhorar. Temos de crescer em alguns capítulos, mas o que apresentámos é mais do que satisfatório para a altura da época em que estamos.»

[Lance do 2-1] O Oday tem uma leitura perfeita do que ia ser a jogada e faz uma antecipação fantástica. A entrada do Oday é um tanto ou quanto frustrante, porque quando entra sofremos o segundo golo, mas toda a gente acreditou, inclusivamente ele. O querer ganhar a bola para poder chegar perto da baliza adversária fica traduzido nesse lance, em que se isola e faz o golo com toda a tranquilidade do mundo.

Na primeira parte houve um desequilíbrio no marcador, mas o jogo estava equilibrado. Na segunda parte arriscámos. Os jogadores que entraram demonstraram que são ótimas soluções. É isso que pretendemos, que quando mexemos se acrescente algo, e eles acrescentaram.»