Joana Marques Vidal será substituída por Lucília Gago como Procuradora Geral da República. Tratou-se de um acordo, conseguido discretamente entre António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa e mereceu o primeiro lugar nos destaques noticiosos da semana que hoje termina. Num contexto em que o PR sempre se pronunciou favoravelmente sobre a alternância no cargo, esta substituição gera polémica e mais um argumento para esgrimir politicamente. Muitos perguntam-se sobre quem é esta magistrada, aparentemente com perfil discreto. Como o conciliará com a elevada exposição a que este cargo obriga?

Quinze meses depois, Tancos e o desaparecimento de material de guerra dos Paióis Nacionais continua em destaque nas notícias. A situação ganha contornos de série americana, com tentativas de justificação para o seu encobrimento. Há já detidos mas a história promete novos capítulos, já.

O futebol, como sempre, aparece nos primeiros lugares mas, atendendo à novidade nos destaques noticiosos, refira-se a paralisação dos taxistas, como ação contra as plataformas de entrega eletrónicas (Uber e afins), a qual tem dominado também as notícias da semana e as ruas das principais cidades portuguesas. Estes profissionais prometem não parar mas, os primeiros sete dias podem já representar menos 2 milhões de euros de receitas. O primeiro ministro também promete não ceder.

O homicídio de Luís Miguel Grilo, triatleta, mais para o final da semana representou um grande salto nos destaques noticiosos com a prisão da viúva, Rosa Grilo e do seu suposto amante, indicados como principais suspeitos deste crime. Num país de brandos costumes, um caso como este é estimulante para a produção da notícia e o consumidor procura-a e pretende manter-se atualizado. Por isso, também aqui, haverá nova temporada.

E, parece já não ser notícia mas foi esta semana concluída a acusação decorrente da investigação às 64 mortes nos incêndios de Pedrógão Grande. E são 697 os crimes que aí constam. Terá esta tragédia caído no esquecimento de quem produz e consome notícias em Portugal?

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho e a codificação das notícias é realizada por Carla Mendonça com o apoio de Leonor Cardoso. Apoios: IPPS-IUL, Jornalismo@ISCTE-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 413 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Atualmente fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.