Tomo a liberdade de introduzir, verdadeiramente, o tema da semana. A possibilidade do governo liderado por António Costa se demitir, depois de CDS, PSD, Bloco e CDU terem votado, na 5ª feira, pela devolução integral do tempo de serviço aos Professores. No entanto, este só passa a ser o tema na tarde de sexta-feira, quando o ainda Primeiro-Ministro fala ao país, depois de uma reunião de emergência com o núcleo duro do Governo e uma segunda com Marcelo Rebelo de Sousa, depois do Top 10 ter sido fechado, pelas 12h desse dia. A mudança é mesmo a única constante... Nos últimos dias não se fala de outra coisa. O que fará Marcelo se os partidos da oposição não recuarem... antes, o que decidirá Cristas e Rui Rio. Se, pelo Rato, os ânimos certamente animaram na sexta-feira, o estado de espírito pela Lapa e pelo Quelhas não será, por estes dias, certamente o melhor.

Até sexta-feira à tarde, foram as eleições em Espanha a merecer os maiores destaques noticiosos. O PSOE ganhou o sufrágio, embora sem maioria absoluta mas o resultado obtido permite-lhe poder negocial. O Partido Popular sofreu uma derrota histórica e há quem preveja que, rapidamente, será o Ciudadanos a ocupar o lugar de liderança do centro-direita aqui mesmo ao lado. Embora de forma induzida, este também é um bom resultado para o Partido Socialista português, no máximo, hoje, a 5 meses de legislativas e a 3 semanas das europeias.

A Venezuela mereceu o segundo lugar nos destaques noticiosos da semana que terminou. As movimentações que tentam provocar a queda do regime, com Guaidó a autointitular-se Presidente Interino, afirma que é chegado o momento de derrubar Maduro. No entanto, este mantém-se no poder e os militares protegem-no. Independentemente do resultado, terça-feira passada ficará na história da Venezuela.

Marcelo e a sua visita à China, não deixou ninguém, pelo Oriente, indiferente. Começou pela Muralha da China e lançou mensagens para todos os que possam garantir estreitar as relações entre Portugal e este gigante, dono da segunda maior economia do mundo. Em Macau, foi recebido como uma estrela pop, só condicionada pela segurança, enchendo ruas de gente que apenas o queria saudar.

O enfarte de Iker Casillas, um dos melhores guarda-redes da história do futebol, que deixou o Real Madrid há quatro anos para vestir a camisola do F.C. Porto não deixou ninguém indiferente e, também por isso, garante o quinto lugar nos destaques noticiosos da semana. O próprio jogador comunicou que está já tudo controlado mas este é mais um bom exemplo da vulnerabilidade da espécie humana, a fazer pensar.

Para a semana há mais. Embora já todos possamos antever o que se vai destacar.

 

 

 

 

 

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho e a codificação das notícias é realizada por Carla Mendonça com o apoio de Leonor Cardoso. Apoios: IPPS-IUL, Jornalismo@ISCTE-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 413 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Atualmente fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.