O barómetro da semana mostra algumas novidades face ao habitual. Se o futebol, presença fiel nas primeiras posições, mantém-se como tal, outros elementos surgem como novidade. Em primeiro lugar, as notícias ‘não-portuguesas’ têm uma representação muito mais significativa. Em segundo lugar, atores e formas políticas ‘não-convencionais’ são predominantes com respeito aos protagonistas e eventos da política institucional. Difícil dizer porquê, mas é apenas o acordo de 17 pontos assinado com o presidente chinês Xi Jinping a furar o silêncio mediático sobre o que as instituições andam a fazer nestes dias.

No campo do protesto, as agitações nas prisões portuguesas conseguiram atrair a atenção sobre uma realidade quase esquecida, mas dramática, com condições descritas como ‘desumanas e degradantes’ pelo Conselho da Europa. No entanto, foram os coletes amarelos franceses a conquistar o primeiro lugar do barómetro. Politicamente indefinido, mas com cheiro à populista, este movimento gozou de uma enorme e poderosa cobertura mediática em França. Como bem explica o historiador Gérard Noiriel num belíssimo texto, publicado no seu blogue pessoal a 21 de Novembro, os jornalistas anunciaram a importância e tamanho deste movimento ainda antes dele sair à rua e a jornada de luta de 17 de Novembro foi seguida pelos canais de informação detalhadamente, minuto a minuto, em direto. Muitos movimentos do passado recente na França, até maiores, como o dos trabalhadores ferroviários na passada primavera, foram quase ignorados.

Por aqui, o protesto dos estivadores de Setúbal está a ter um tratamento parecido: relegadas no último lugar do barómetro, a noticias que lhe dizem respeito focaram-se sobretudo na viabilidade do porto e nas dificuldades na atividade económica da Autoeuropa e muito menos nos motivos da greve a na situação dos estivadores.

<div class="infogram-embed" data-id="e6d01f40-ea86-4e29-b55a-15944bfdd8b7" data

-

type="interactive" data-title="BN 2018 48-49 - 30 NOV a 06 DEZ

2018"></div><script>!function(e,t,s,i){var

n="InfogramEmbeds",o=e.getElementsByTagName("script")[0],d=/^http:/.test(e.location)?"

http:":"https:";if(/^\/{2}/.test(i)&&(i=d+i),window[n]&&window[n].initialized)window[n].pro

cess&&window[n].process();else if(!e.getElementById(s)){var

r=e.createElement("script");r.async=1,r.id=s,r.src=i,o.parentNode.insertBefore(r,o)}}(docum

ent,0,"infogram-async","https://e.infogram.com/js/dist/embed-loader-min.js");</script>

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho e a codificação das notícias é realizada por Carla Mendonça com o apoio de Leonor Cardoso. Apoios: IPPS-IUL, Jornalismo@ISCTE-IUL, e- TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom. Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 413 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Atualmente fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.