Borba foi, pelas piores razões, o principal destaque noticioso da semana passada. A derrocada que lá ocorreu numa pedreira abandonada e provocou o desabamento da estrada municipal 255 é ainda um dos temas do momento. Levou, novamente e pelas piores razões, as câmaras de televisão para o Alentejo. Levou o Presidente da República a esta zona do país, onde pediu paciência. Para um tema que não é novo pois já em 2014 se criou um regime especial para a legalização de pedreiras mas todos hoje sabemos que existem ainda centenas desativadas mas perigosas.

Esta tragédia “distraiu” as notícias do destaque principal da semana anterior, o famoso caso de Alcochete e o SCP. Quando foi ouvido no Tribunal do Barreiro, o Presidente do Sporting afirmou que as claques devem cerca de 600 mil euros em bilhetes para os jogos e que este benefício fez com que se fizessem negócios com estes ingressos. Frederico Varandas já acabou com os privilégios atribuídos pelo seu antecessor, Bruno de Carvalho, à Juve Leo. As televisões mostraram mais imagens do ataque à Academia, as do arquivo de videovigilância que, tal como todas as anteriores, não são bonitas.

Os estivadores do Porto de Setúbal estiveram em greve. Um dos cartazes dizia que são “recordistas de precários”. Os sindicatos falaram em 93 trabalhadores. Esta paralisação teve início no passado dia 5 de Novembro e, devido a isso, o porto de Setúbal esteve praticamente parado com os estivadores lá, mas à porta, em protesto que se fez ouvir em todo o lado. A Autoeuropa foi uma das empresas afetadas e teve que encontrar uma alternativa para minimizar os atrasos na entrega dos automóveis. Um braço de ferro que promete novos episódios.

A visita do Presidente de Angola a Portugal apareceu também nos destaques noticiosos da semana. Marcelo Rebelo de Sousa escolheu um discurso sobretudo emocional para brindar o primeiro dia de visita oficial, falando com o coração e para o coração. Pretende que Angola seja visto muito mais do que como um parceiro, pediu uma “cumplicidade estratégica” para aproveitar oportunidades que podem ser únicas. Isto depois de um dia em que as mensagens políticas para consumo em Lisboa e em Luanda tinham, até aí, marcado o dia.

Entretanto, em Sabrosa, uma família inteira foi encontrada morta. São 3 adultos e duas crianças que, aparentemente, por terem frio, acabaram por ser vítimas de intoxicação de monóxido de carbono, muito possivelmente pela inalação dos fumos causados por um gerador. Uma história triste, dramática, que deixa o coração do leitor de luto e mostra bem um Portugal a avançar a vários tempos o que, em tempo de Black Friday, é importante não esquecer.

 

 

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho e a codificação das notícias é realizada por Carla Mendonça com o apoio de Leonor Cardoso. Apoios: IPPS-IUL, Jornalismo@ISCTE-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 413 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Atualmente fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.