Rafa tem sido uma das peças fundamentais do Benfica esta época. Com a equipa a mostrar maiores dificuldades esta época, o extremo tem ajudado a camuflar alguns problemas, razão pela qual a ausência prolongada que se prevê devido a lesão cause alguma preocupação entre os adeptos.

Bruno Lage, contudo, apesar de elogiar o jogador que se lesionou diante do Lyon, diz que o mais importante é o coletivo.

«A ideia nunca pode ser diferente. Há uma ideia coletiva da forma de jogar, para tirar partido do que cada jogador oferece. O Rafa oferece coisas muito positivas, pode fazer várias posições e não tem receio de entrar em confronto com os adversários, mas sem ele a ideia coletiva não muda. Aquilo que muda é o contributo de cada jogador para o coletivo. Mas quem o substituir também vai dar o seu contributo», acredita.

Na antevisão à partida com o Tondela, o técnico foi novamente questionado sobre os poucos golos dos avançados, mas voltou a desvalorizar o assunto.

«Nós dependemos de quem marca golos, como dependemos de quem defende a baliza. O mais importante é tirarmos partido do coletivo e decidir os jogos coletivamente. Não me interessa quem marca golos», reforçou.

Adérito Esteves / Centro de treinos do Benfica, Seixal