O Benfica não poderá contar com Gabriel por tempo indeterminado devido a uma lesão na vista.

O médio brasileiro vinha a ser presença assídua no onze encarnado no meio-campo - na posição 'seis' ou 'oito' - mas Bruno Lage considera que há qualidade para que a equipa mantenha os níveis exibicionais, ainda que com jogadores com diferentes caraterísticas. «O Gabriel é um jogador fantástico que nos faz falta, mas todos fazem falta. O contributo dele tem sido importante, é um jogador que dá garantias de qualidade à nossa equipa, como todos os outros. Qualquer jogador, quando joga, oferece coisas boas. Não tendo Gabriel, outro colega entra em campo e dá o seu melhor. Temos de arranjar soluções para a equipa continuar com uma dinâmica e qualidade de jogo.

Recorde-se que há uma semana Bruno Lage, quando confrontado com os problemas defensivos do Benfica, assumiu que a equipa precisa de ser mais eficaz na pressão. Ora, essa é precisamente uma das caraterísticas que o técnico das águias evidenciou em Gabriel por diversas vezes no passado.

Lage não negou que o brasileiro é o médio que melhor cumpre esse tipo de funções, mas sublinhou a importância do trabalho coletivo. «Sim, por isso é que eu tenho dito desde a primeira hora que o trabalho dos avançados também é muito importante. Independentemente da individualidade, o coletivo tem de funcionar. Se em termos ofensivos temos trabalhado muito com o Ody [Vlachodimos] para ser o primeiro a proporcionar um ataque de qualidade, em termos defensivos exigimos muito dos nossos avançados para sermos competentes a defender», concluiu.

David Marques / Benfica Campus