Jorge Jesus, treinador do Benfica, na sala de imprensa, após vitória por 5-1 frente ao Famalicão:

«O Benfica sempre será à imagem do Benfica e para ser jogador do Benfica, tem de saber jogar à Benfica, essa é a nossa história. É o que nós pretendemos que os jogadores façam e hoje fizemos com mais facilidade. Fizemos cinco golos, podíamos ter feito mais. Foi um jogo que entrámos muito fortes e conseguimos ser mais objetivos na concretização. Em sete remates, fizemos cinco e no último jogo fizemos oito remates e só marcamos um.

Tivemos a mesma posse de bola, os dados estatísticos estivemos iguais, o resultado é que foi diferente. Também é verdade de que o Paok defendia melhor. Mas hoje goleamos e continuamos com a mesma confiança na caminhada do Benfica.

Quando disse que queria um Benfica arrasador, falo numa equipa que joga para ganhar, que joga com uma intensidade muito alta e que não deixa o adversário jogar. Se jogássemos como jogávamos no ano passado, não dávamos cinco, por isso tivemos que jogar o dobro.

[alterações no onze] O Waldschimdt e o Darwin são jogadores com características diferentes dos outros avançados que temos. Têm uma velocidade de execução muito grande, mas ainda estão longe daquilo que podem fazer. Aos poucos vão entrando na dinâmica da equipa.

Ainda andamos à procura da equipa base, mas eu já a tenho na cabeça, embora ainda não tenha tido a certeza de qual será essa equipa. Uma equipa para mim não são só os onze que jogam. Temos cinco substituições para fazer e aproveitei para mudar quase meia equipa.

Ainda temos uma competição para além das internas. O jogo da Champions já é passado e o que conta é que o Benfica vai para a Liga Europa com os objetivos bem definidos, mas o nosso grande objetivo é o campeonato, sempre foi e sempre será. É a nossa prioridade.

[zangado com Grimaldo?] Há uma grande diferença entre o querer que os meus jogadores façam as coisas sempre bem e o estar zangado. Eu exijo que eles façam o melhor porque sei os jogadores que tenho e conheço o nível individual técnico de cada um. Tirei Grimaldo porque fez 90 minutos na Grécia e esteve muito tempo lesionado.

[operação Lex] Todos nós estamos solidários com o presidente e com aquilo que ele e a família estão a sofrer. Esta vitória é do grupo para ele e tudo o que ele fez pelo Benfica. Este clube tem crescido imenso e isso deve-se a toda a direção e ao presidente do Benfica.»

Nuno Dantas / Estádio Municipal de Famalicão, Vila Nova de Famalicão